Novas operações anticorrupção da Polícia Federal nas ruas do Brasil

  • Polícia Federal apura prática de crimes fiscais na região norte do país
  • Investigação de desvio de verbas na Assembleia Legislativa de Alagoas
  • Crimes fiscais, mediante aquisição de empresas de fachada por R$ 5 mil a R$ 10 mil, com sede na Zona Franca de Manaus/AM e na Área de Livre Comércio em Boa Vista/RR

Boa Vista/RR / Rio de Janeiro, RJ, Brasil – A Polícia Federal deflagrou na terça-feira (10/4) a Operação Capilé, com o objetivo de apurar crimes fiscais na Zona Franca de Manaus e Área de Livre Comércio em Boa Vista/RR, corrupção, operação de câmbio ilegal, lavagem de dinheiro e organização criminosa em Roraima, Amazonas, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal e Espírito Santo.

Foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão, 8 mandados de prisão preventiva e 3 mandados de afastamento de servidores públicos do cargo, deferidos pela Justiça Federal em Roraima.

modus operandi inicial dos crimes investigados consistia na coleta de moeda estrangeira (dólar e euro) na fronteira Brasil-Venezuela e Brasil-Guiana, com guarda da moeda na residência do chefe da organização em Boa Vista/RR. Na sequência, os envolvidos retiravam o dinheiro em Boa Vista/RR, em duas a três viagens por semana, transportando de R$ 100 mil a R$ 200 mil por viagem. O dinheiro era levado para Brasília e São Paulo, onde era entregue em casa de câmbio e os valores gerenciados pelo chefe da organização criminosa.

No curso da investigação, foi desvendada prática de crimes fiscais, mediante aquisição de empresas de fachada por R$ 5 mil a R$ 10 mil, com sede na Zona Franca de Manaus/AM e na Área de Livre Comércio em Boa Vista/RR.

Com os benefícios fiscais concedidos a empresas de fachada, os investigados adquiriam ilicitamente mercadorias com incentivo fiscal de empresa distribuidora situada em Goiânia/GO. Tais mercadorias de fato não eram remetidas à área com benefício fiscal, sendo destinadas a outros estados da federação, com aproveitamento criminoso de benefício fiscal e envolvendo pagamento de propina a servidores públicos da SEFAZ e SUFRAMA de Manaus/AM e Boa Vista/RR.

O nome da operação – Capilé – remete ao termo utilizado pelos investigados em referência à propina paga a servidores públicos.

Desvio de verbas em Alagoas

Na terça-feira (10/4) a Polícia Federal deflagrou a Operação Malacafa, com o objetivo de investigar esquema de inserção de funcionários fantasmas na folha de pagamento da Assembleia Legislativa de Alagoas.

Aproximadamente 60 policiais federais deram cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Maceió/AL, Batalha/AL e Jacaré dos Homens/AL. Esta ação é um desdobramento da Operação Surugate, que teve início em março de 2017.

Pagamento de propinas

Os federais deflagraram no dia 10 de abril a Operação Tira-Teima, que investiga pagamentos de vantagens indevidas por parte de um grupo empresarial a políticos, para obter benefícios.

Cerca de 40 policiais federais cumpriram 8 mandados de busca e apreensão, expedidos pelos Ministros Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, em São Paulo/SP, Goiânia/GO e Fortaleza/CE.

A finalidade das medidas é buscar documentos e outros elementos de aprofundamento da investigação, considerando a notícia de doações de campanha abalizadas através de contratos fictícios.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal.

DRACONX
Patrocinado, fazer click para informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: