Operação policial investiga participação de integrantes de transportadoras em greve

  • Polícia Federal reprime atuação de empresários, que estaria ameaçando caminhoneiros para que não fizessem o transporte e para que abandonassem os veículos em postos

A Foto A -Rio Grande do Sul/RS – Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal realizou o dia 31 de maio operação no Rio Grande do Sul para reprimir a atuação de empresários de transporte na promoção de paralisações no âmbito da greve dos caminhoneiros. Os agentes cumprem mandados de busca e apreensão e de prisão em cidades do estado.

A realização de greves ou paralisações por empresários, prática conhecida como locaute, é proibida pela legislação. A operação da PF, que ganhou o nome Unlocked, ocorreu a partir de inquérito que investigou a participação de integrantes de transportadoras em bloqueios nas rodovias BR 116, RS 122 e RS 452.

A PF apurou que um administrador de uma grande transportadora estaria ameaçando caminhoneiros para que não fizessem o transporte e para que abandonassem os veículos em postos. Essas práticas estariam enquadradas nos crimes de atentado contra liberdade ao trabalho e associação criminosa.

Os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão nas cidades de Vila Real e Caixas do Sul, a cerca de 100 quilômetros da capital, Porto Alegre. Também foi cumprido mandado de prisão na cidade de Xangri-lá, no litoral do estado.

Artigo da PF

Em um artigo facilitado pela Agência de Noticias  da corporação, a Polícia Federal assinala que deflagrou na manhã da quinta-feira (31/5), com o apoio da PRF e da Brigada Militar, a Operação Unlocked, para reprimir a prática de locaute em rodovias do Rio Grande do Sul. Mais de 60 policiais federais cumpriram três mandados de busca e apreensão nos municípios de Vale Real e Caxias do Sul, e um de prisão temporária em um condomínio de luxo em Xangrilá.

Segundo a PF, o inquérito foi instaurado no dia 30 de maio, a partir de denúncias recebidas e de análise de informações. A investigação apontou que o administrador de uma grande transportadora estaria ameaçando caminhoneiros para que não realizassem o transporte de cargas, além de obrigar motoristas a desembarcarem dos seus caminhões e os abandonarem em postos de combustíveis. A atuação criminosa teria ocorrido nas rodovias RS-122, RS-452 e BR-116, na região dos municípios de Bom Princípio, Feliz e Vila Cristina.

Os crimes investigados são atentado contra a liberdade de trabalho (Art. 197, II do CP) e associação criminosa (Art. 288 do CP).

É procedente dizer que a informação foi faciltada pela Agência Brasil (EBC) e a Agência de Noticias da Polícia Federal, Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Sul. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

LOGO2 ING-1 -
Carreiras na OIPOL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: