Vários frentes nas operações anticorrupção da Policia Federal do Brasil

Operação Farra do Tesouro investiga desvios de recursos em prefeitura de São Paulo

A Foto Políacia Federal do Brasil
Foto Políacia Federal do Brasil

Jales/SP – Araraquara/SP –  Natal/RN – Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou na manhã  do dia 31 de julho a Operação Farra no Tesouro, que investiga grupo criminoso suspeito de desvios superiores a R$ 5 milhões dos cofres da Prefeitura Municipal de Jales, São Paulo (SP).

Cerca de 50 policiais federais deram cumprimento a cinco mandados de prisão temporária e a treze mandados de busca e apreensão, expedidos pela 5ª Vara da Justiça Estadual de Jales, com parecer favorável do Ministério Público Estadual. Familiares da servidora, além da secretária municipal de Saúde do município, também foram presos temporariamente.

Os treze mandados de busca e apreensão – doze deles em Jales – estão sendo cumpridos nas residências dos presos, nas empresas do marido da tesoureira e também nas residências dos Secretários da Fazenda e Saúde do município. A secretária de Saúde foi presa, enquanto o chefe da pasta da Fazenda (superior direto da tesoureira), embora não tenha sido preso, também está entre os alvos das buscas.

Setores da Prefeitura Municipal, relacionados à tesouraria e contabilidade, também estão sendo alvo das buscas realizadas pela PF. O objetivo destas buscas é a localização dos documentos relativos aos pagamentos e transferências suspeitas realizadas pela tesoureira nos últimos treze anos em que atua na Prefeitura Municipal de Jales/SP.

As investigações da PF começaram no início deste ano, a partir de informações recebidas pelo núcleo de inteligência da PF, que relataram ocorrências de desvios de recursos públicos das contas da Prefeitura Municipal de Jales há vários anos. De acordo com o que foi apurado, a tesoureira da Prefeitura de Jales seria a mentora dos desvios. Ela foi contratada em 2005 para trabalhar na Prefeitura de Jales, sem concurso público. Ela e parte de sua família seriam os principais beneficiários dos recursos desviados neste rombo milionário.

Estimativas iniciais indicam que a tesoureira do município pode ter desviado cifra superior a cinco milhões de reais durante o tempo em que trabalha na Prefeitura de Jales. Somente nos últimos dois anos, ela teria desviado aproximadamente dois milhões de reais.

Os presos serão indiciados por vários crimes, dentre eles peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O material e os veículos apreendidos serão encaminhados para a sede da Polícia Federal em Jales/SP. Os presos serão conduzidos à Cadeia Pública de Santa Fé do Sul/SP (homens) e Cadeia Pública de Nhandeara/SP (mulheres), onde permanecerão à disposição da Justiça Estadual de Jales/SP.

Desvio de recursos públicos e lavagem

A Foto Políacia Federal do Brasil - ---A Polícia Federal deflagrou na manhã do dia 31 de julho a Operação Via Trajana, com a finalidade de reunir provas de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, entre outros delitos, no Estado do Rio Grande do Norte, fatos ocorridos nos anos de 2009 a 2010.

Cerca de 120 policiais federais deram cumprimento a 27 mandados judiciais de busca e apreensão, na Grande Natal e em mais 7 Estados da Federação.

A operação decorre de trabalho anterior realizado pela própria Polícia Federal e o Ministério Público Federal, quando da deflagração da primeira fase da investigação denominada Via Ápia.

Em virtude de novas evidências surgidas durante o trâmite das ações penais em curso, restou evidenciada a ação criminosa de outros envolvidos no esquema criminoso. Entre os diversos fatos sob apuração, está o pagamento de vantagem pecuniária indevida, propina, em contratos celebrados entre o DNIT/RN e construtoras responsáveis pelas obras rodoviárias no RN.

Fraudes na Previdência Social

A Foto Polícia Federal do Brasil - - ---
Foto Polícia Federal do Brasil

A Polícia Federal, com o apoio do INSS, deflagrou na manhã do dia 31 a Operação Apate, que visa desarticular organização criminosa especializada em fraudes na Previdência Social, em São Paulo. Durante as investigações, realizadas com apoio da inteligência da Previdência Social, estimou-se um prejuízo ao erário público de R$ 4,4 milhões.

Policiais federais deram cumprimento, nas cidades de Araraquara e São Carlos/SP, a 4 mandados de prisão preventiva e a 6 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de São Carlos.

De acordo com o que foi apurado, para fins de obtenção de benefícios previdenciários, eram inseridos dados fraudulentos em sistemas da Previdência. Essas fraudes consistiam na criação de vínculos empregatícios fictícios e extemporâneos, com transmissão de dados pelo sistema “SEFIP/Conectividade Social” – Guia de Recolhimento do FGTS e Informações para a Previdência Social (GFIP).

Os investigados responderão pelos crimes tipificados nos artigos 171, § 3o, do Código Penal, e 2º, caput, da Lei 12850/13.

É procedente dizer que a informações foram facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal em Jales/SP, Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte e Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

1e7ececf-7b52-4ce1-8779-bff1235ee735
Krav Maga Boot Comp, Espanha 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: