Condenam cardeal francês por silêncio diante de abusos sexuais

A Foto Agência Brasil ------
Cardeal francês Philippe Barbarin. Foto Agência Brasil (EBC)

Rio de Janeiro –  Philippe Barbarin foi condenado  o dia 7 de março a um ano de prisão, sentença convertida em seis meses de pena, por não ter denunciado abusos sexuais praticados por um padre durante anos.

O coletivo de juízes do Tribunal de Lyon leu esta manhã a sentença do cardeal Barbarin.

O arcebispo de Lyon e mais cinco funcionários, leigos e clérigos da diocese, são acusados de silêncio cúmplice por terem conhecimento, durante anos, dos abusos sexuais praticados pelo padre Preynat e de terem escondido esses crimes da Justiça.

Para as vítimas do padre Preynat, o sacerdote, que durante várias décadas teria abusado de 80 crianças, se o cardeal Barbarin e os funcionários do arcebispado tivessem denunciado os fatos muitos crimes não teriam prescrito.

O padre Preynat confessou, em cartas e às vítimas, durante a investigação, os crimes praticados. Das 80 vítimas, apenas sete não viram os crimes prescrever. Preynat deverá começar a ser julgado este ano.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pala Agência Brasil (EBC), com informações da RTP (emissora pública de televisão de Portugal). Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

39038138_670285023346262_8777705476939841536_n
OIPOL Elite Training, Miami 2019 segunda edición. Más información aquí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: