Governo de Guatemala informa que o país se tornou produtor de cocaína

  • Enrique Degenhart, ministro do Interior da Guatemala, informou que seu país se tornou produtor de cocaína e não é mais apenas um local de trânsito e armazenamento, depois de localizar nas últimas semanas plantações de coca e laboratórios de produção da droga.
A Foto A-
Membros do esquadrão antidrogas descarregam pacotes de cocaína confiscada durante as operações em Retalhuleu e San Marcos, na sua chegada na base da Força Aérea da Cidade da Guatemala, no dia 20 de maio de 2019. (Foto: Johan Ordoñez, AFP)

“Com a descoberta de campos semeados com a folha de coca, a Guatemala se tornou um país produtor de cocaína e nos coloca em uma situação totalmente diferente quanto à segurança regional”, afirmou Degenhart em uma entrevista coletiva.

“Isso coloca a Guatemala em uma situação completamente diferente; não somos apenas um país de passagem ou trânsito (…), mas agora somos produtores de cocaína”, insistiu.

O ministro assegurou que estão montando uma estratégia com as autoridades de combate ao narcotráfico dos Estados Unidos para enfrentar esse flagelo.

Comentou que a Guatemala recebeu cinco helicópteros que foram reparados pelos Estados Unidos e que servirão para combater o narcotráfico nesse país centro-americano.

Anteriormente, as aeronaves eram pilotadas por pessoal dos EUA, mas agora serão conduzidas por policiais guatemaltecos, após receberem uma certificação norte-americana.

Degenhart explicou que com o auxílio do Ministério da Defesa foram desmantelados três laboratórios de drogas e também foram destruídas plantações de folha de coca. A mais recente apreensão ocorreu no dia 12 de setembro em uma localidade caribenha, em operações realizadas durante o estado de sítio decretado em 22 municípios, após a execução de três militares por parte de supostos narcotraficantes.

A apreensão foi feita em uma região montanhosa do município de El Estor, no estado de Izabal, onde morreram três militares no dia 3 de setembro.

A Guatemala e os demais países da América Central são utilizados pelos cartéis internacionais que, com a ajuda dos chefões de drogas locais, traficam drogas e lavam dinheiro, aumentando a já elevada taxa de criminalidade da região.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Herbert Zepeda / Voice of America (VOA) e Dialogo. Edição, Área Jornalística OIPOL.

escudo_ciip
Está chegando uma Área Acadêmica exclusiva OIPOL, como diversos benefícios para associados da Organización Internacional de Policiais…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: