Presidente da Colômbia: O regime venezuelano é “mais um elo na cadeia do terrorismo internacional”

A Foto A-
O presidente colombiano Iván Duque fala durante a 74ª sessão da Assembleia Geral na sede das Nações Unidas em Nova York, no dia 25 de setembro de 2019. Duque disse que a Colômbia entregará um dossiê com “provas conclusivas” à ONU, demonstrando o apoio de Nicolás Maduro aos grupos terroristas. (Foto: Timothy A. Clary, AFP)

Iván Duque, presidente colombiano, acusou Nicolás Maduro, no dia 25 de setembro, de ser “mais um elo na cadeia do terrorismo internacional” e anunciou diante de líderes mundiais reunidos na Organização das Nações Unidas (ONU) que entregará as provas dos vínculos de seu disputado governo com as atividades do narcotráfico e do terrorismo.

Duque fez essa declaração durante seu discurso no debate geral da 74ª Assembleia Geral da ONU em Nova York.

“Suas estruturas corruptas são servas dos cartéis de drogas, seus joguetes são os braços direitos da máfia e alimentam a violência na Colômbia; eles dão refúgio a assassinos e estupradores de crianças, e aqueles que ignoram esses atos desprezíveis são cúmplices da ditadura”, disse em seu discurso.

Duque acrescentou que seu governo entregará ao presidente da Assembleia e ao secretário geral da ONU um dossiê com 128 páginas contendo provas “confiáveis e conclusivas” que corroboram e demonstram a cumplicidade do “apoio da ditadura aos grupos criminosos e narcoterroristas que atuam na Venezuela para atentar contra a Colômbia”, por parte de Maduro.

O documento tem uma lista de “20 criminosos que traíram a generosidade dos colombianos” e hoje estão na Venezuela. Disse que o dossiê tem a localização de mais de 1.400 combatentes que fazem parte do grupo Exército de Libertação Nacional (ELN) e 207 localidades controladas por essa organização. Além disso, menciona 20 pistas de pouso usadas pelo narcotráfico.

Duque falou também sobre testemunhos de venezuelanos que, segundo ele, viram de perto as ações do ELN no território venezuelano.

“Esses líderes que hoje desfrutam da acolhida de Maduro são os mesmos que reivindicaram, durante anos, os ataques aos oleodutos, causando danos ambientais irreparáveis”, acrescentou o presidente.

O governante reiterou que a Colômbia não é um país agressor nem se deixará provocar por “insinuações belicosas. Mas sempre levantará sua voz para denunciar a tirania”.

Em outro evento à parte da Assembleia Geral, Duque disse à VOA que a região está unida para encontrar uma solução para a crise na Venezuela.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Voz da América / Editado pela equipe da Diálogo. Edição, Área Jornalística OIPOL.

escudo_ciip
Área Acadêmica exclusiva OIPOL Elite, com diversos benefícios para associados da Organização Internacional de Policiais. Ler em idioma espanhol …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: