Operações de intervenção rápida contra quadrilhas no El Salvador

A Foto A-
Forças-tarefa da FAES realizam uma operação de intervenção rápida em São Salvador para capturar os membros das quadrilhas dedicadas ao narcotráfico e à extorsão contra comerciantes. (Foto: Gloria Cañas / Diálogo)

A Força Armada de El Salvador se infiltra com drones e helicópteros nas zonas urbanas com maior número de assassinatos e extorsões.

A Força Armada de El Salvador (FAES) destacou 10 forças-tarefa nas zonas urbanas dos 22 municípios com maior índice de violência, acrescentando mais soldados, drones e helicópteros às operações de intervenção rápida, para neutralizar os pontos de controle territorial das gangues MS-13 e Barrio 18. Mais de 7.300 militares de elite trabalham nessa missão.

“As operações de intervenção rápida nos permitem atingir objetivos específicos graças às forças-tarefa, unidades com métodos rigorosos em campo e alto nível de eficiência”, declarou à Diálogo o Coronel de Engenharia do Exército Carlos Alberto Tejada, chefe do Estado-Maior Conjunto da FAES. “As quadrilhas continuam envolvidas no tráfico de migrantes e entorpecentes e mantêm alianças com grupos criminosos transnacionais; por isso é importante complementar o trabalho com patrulhamentos, postos de verificação e presença permanente nas cidades.”

Esse trabalho fortalece a execução do Plano Controle Territorial III, lançado em agosto de 2019 pelo Ministério da Justiça e Segurança, para recuperar o controle das cidades onde as quadrilhas captam seus maiores recursos financeiros com extorsões contra os comerciantes. “Estamos nas zonas onde operam as duas gangues [MS-13 e Barrio 18], divididas às vezes apenas por uma rua. Em uma das operações, foram capturados 60 membros de gangues dedicados ao tráfico de drogas e armamentos”, disse à Diálogo o Tenente-Coronel do Exército de El Salvador Lisandro Calderón, comandante da Força-Tarefa Vulcano, no estado de São Salvador. “A eficácia do nosso trabalho é constatada na redução dos homicídios.”

As forças-tarefa exercem o controle do território em 200 blocos dos perímetros urbanos dos municípios incluídos no plano. “Nossa presença no terreno faz com que os criminosos abandonem a zona urbana em direção às zonas rurais, onde também existem forças-tarefa”, explicou à Diálogo o Major do Exército de El Salvador José Herrera, comandante da Força-Tarefa Apolo, no estado de La Libertad. “Atacamos [o narcotráfico] e aumentamos a captura dos indivíduos que estão entre os mais procurados, todos vinculados às gangues.”

“Realizamos ações táticas no terreno graças ao trabalho de inteligência feito por todas as unidades”, acrescentou o Cel Tejada. “Nossa eficiência também está relacionada com o adestramento permanente de nossas unidades, graças ao apoio dos Estados Unidos e de outras nações parceiras que nos oferecem ajuda, como o Brasil, o Chile, a Colômbia e o México.”

Como recurso especializado, as Forças Armadas contam com as patrulhas de reconhecimento de longo alcance pertencentes ao Grupo de Operações Especiais. “Trata-se de grupos adestrados com dispositivos de visão noturna e armamento pesado, com capacidade para realizar infiltrações com meios aéreos e navais”, finalizou o Cel Tejada.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada por Lorena Baires / Diálogo (Comando Sul do EUA). Edição, Área Jornalística OIPOL.

LOGOBIENDEFINIDO
Carreira na Área Acadêmica OIPOL…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: