Comando Sul de EUA fortalece capacidade na América Central

A Força-Tarefa Conjunta Bravo (JTF-Bravo) do Comando Sul dos Estados Unidos destaca seu braço humanitário na América Central, para fortalecer a capacidade de resposta diante da propagação acelerada da COVID-19.

A JTF-Bravo envia equipamentos de saúde para proteger médicos, enfermeiros, militares e policiais. Essa ajuda começou a chegar à região no início de abril. El Salvador foi um dos primeiros países a receber o apoio dos EUA, que entregou materiais de primeira necessidade sanitária para abastecer os centros de isolamento onde são atendidas as pessoas com suspeitas de terem contraído a COVID-19.

Os Estados Unidos também doaram refeições para os militares em campo que impedem a passagem de pessoas que fogem dos controles sanitários. “O Comando Sumpul, destacado em mais de 186 pontos fronteiriços não habilitados, recebeu as refeições prontas para consumo doadas pelos militares norte-americanos”, explicou o Contra-Almirante da Força Naval René Merino, ministro da Defesa de El Salvador. “Eles também nos doaram álcool em gel e máscaras, pois estamos em contato com muitas pessoas diariamente.”

“Ajudas similares chegam para atender as forças militares e civis da Guatemala, Honduras e Costa Rica”, acrescentou a Tenente-Coronel do Exército dos EUA Laura Miller, oficial de Assuntos Civis da JTF-Bravo em Honduras.

A JTF-Bravo construiu um hospital de campanha para atender os pacientes da COVID-19 em sua sede na Base Aérea José Enrique Soto Cano, em Comayagua, Honduras. O seu Batalhão ARFOR ensaiou um plano de assistência e evacuação dos contaminados, enquanto o 1º Batalhão do 228º Regimento de Aviação realiza treinamentos de assistência humanitária e mostra a capacidade de mobilização de forças até onde for necessário em tempos de crise, afirmou um comunicado.

Meses antes da chegada do vírus à região, várias forças armadas renovaram seus conhecimentos de interoperabilidade em situações de emergência.

“Os recursos mais importantes que nossas Forças Armadas oferecem são o compromisso tangível dos Estados Unidos de aliviar o sofrimento humano e que as pessoas saibam que receberão a ajuda necessária”, enfatizou a Ten Cel Miller.

SLV-JTF-Bravo-2-500x375 - Copia
Durante o exercício Vita, a equipe de evacuação médica do 1º Batalhão do 228º Regimento de Aviação da JTF-Bravo treinou com as Forças Militares da Colômbia, em assistência a vítimas e operações de aerotransporte, para melhorar as capacidades e incrementar a interoperabilidade. (Foto: Força-Tarefa Conjunta Bravo)

Um exemplo dessa ajuda foi o exercício Vita, realizado na região de La Guajira, na Colômbia, em março de 2020, para oferecer serviços de medicina preventiva, saúde pública, farmácia e odontologia.

“Aumentamos significativamente a prontidão do grupo de trabalho para executar operações de ajuda humanitária em ambientes austeros, o que é particularmente crucial, porque as tripulações das aeronaves precisaram se familiarizar com as demandas únicas de voar em terrenos montanhosos e desérticos”, lembrou o Tenente-Coronel do Exército dos EUA Bob Yerkey, diretor de Operações da JTF-Bravo. “Nossas equipes de assuntos civis e médicos estabeleceram contatos valiosos que se tornarão essenciais nas futuras operações de assistência humanitária.”

Em outro exercício na província de Darién, Panamá, em dezembro de 2019, a JTF-Bravo e as Forças Armadas do Panamá trabalharam para responder a um desastre simulado após um evento natural. “Esse exercício se tornou uma plataforma para que várias agências se unissem e solucionassem problemas envolvendo o deslocamento de pessoas, assistência alimentar e fornecimento de provisões humanitárias às comunidades”, disse a Ten Cel Miller, que comandou o exercício. “Não só fortalecemos os laços entre os países, mas também entre as agências de resposta civil e militar. É um trabalho de cooperação posto em prática atualmente.”

“Tudo o que foi citado anteriormente se soma aos numerosos exercícios de treinamento médico e outras atividades que coordenamos na região. Ao trabalhar com as forças dos países parceiros, estamos preparados para enfrentar juntos os desafios de hoje e de amanhã”, enfatizou o Capitão da Força Aérea dos EUA Beau Downey, diretor de Assuntos Públicos da JTF-Bravo. “A competência mais relevante que ambos os lados recebem é a interoperabilidade; construímos relações mútuas e aprendemos onde estão os pontos de contato, para aproveitá-los rapidamente durante uma crise.”

É procedente assinalar que a informação foi facilitada por Lorena Baires/Diálogo. Edição, Área Jornalística Oipol.

escudo_ciip -
Inteligência e Criminologia de Elite. acessar e leia em idioma espanhol…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: