Chefes policiais marcham em solidariedade a manifestantes pacíficos nos EUA

Americanos muitas vezes têm opiniões diferentes sobre como enfrentar desafios sociais prementes, mas cidadãos americanos compartilham um respeito pelo direito de liberdade de discurso, de expressão e de realizar manifestações pacíficas.

Alguns líderes policiais se juntaram a demonstrações pacíficas após a morte de George Floyd, que estava sob custódia policial.

“A única razão pela qual estamos aqui é garantir que vocês tenham uma voz, é isso”, disse Chris Swanson, xerife do Condado de Genesse, a manifestantes em Michigan durante uma interação publicada no site da rede de televisão americana Fox News em 30 de maio.

Swanson acrescentou que o tratamento atribuído a Floyd nas mãos de quatro policiais em Minneapolis não reflete com precisão a aplicação da lei nos Estados Unidos. “Saímos às ruas para ajudar pessoas, não para cometer esse absurdo.”

Promotores do estado de Minnesota acusaram um policial de Minneapolis de homicídio de segundo grau em conexão com a morte de Floyd em 25 de maio. O estado acusou outros três oficiais de cumplicidade, e o Departamento de Justiça dos EUA também abriu uma investigação de direitos civis, segundo uma declaração do departamento em 4 de junho.

Quando manifestantes pediram a Swanson que marchasse com eles, ele se juntou à manifestação.

Demonstrações semelhantes têm ocorrido em outras cidades americanas, onde a polícia tem se juntado a manifestações pacíficas, segurando cartazes com frases em defesa da igualdade para todos.

Em 1 de junho, Terence Monahan, chefe da polícia da cidade de Nova York, disse aos manifestantes que matar era “errado” e os conclamou a expressar suas indignações pacificamente. E se ajoelhou ao lado de manifestantes no Parque Washington Square, situado na cidade.

“Eu considerei isso apropriado”, disse ele a jornalistas*. “Nós nos abraçamos para mostrar que há solidariedade.”

Em Camden, Nova Jersey, o chefe de polícia Joseph Wysocki marchou com manifestantes. Caminhando na frente da manifestação, ele exibia uma faixa com os dizeres: “Standing in Solidarity” (Estamos aqui em solidariedade, em tradução livre).

Policiais em Austin, Texas, marcharam com jogadores de futebol americano da Universidade do Texas* desde o campus até os degraus do edifício do Capitólio do estado. E em Baltimore, policiais se ajoelharam ao lado de manifestantes* em frente à Prefeitura.

Swanson afirma que está planejando mais reuniões com manifestantes a fim de assegurar que as recentes demonstrações de solidariedade através de protestos pacíficos resultem em melhorias duradouras na comunidade.

“Não vamos ser apenas um escritório de palavras”, disse ele ao jornal diário Detroit Free Press. “Vamos ser um escritório de ação.”

És procedente assinalar que a informação foi facilitada por ShureAmerica. Edição, Área Jornalística Oipol.

a international1 (1)
Área de Inteligência da OIPOL superando limites de profesionalismo, veja…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: