Os que deixaram seu Carimbo para o mundo

ShareAmerica, que é a plataforma do Departamento de Estado dos EUA, cujo intuito é comunicar a política externa americana para todo o mundo, publica um artigo sobre os as pessoas que emigraram para “fazer a América” e deixaram um legado muito importante para a humanidade.

Refugiados que deixaram sua marca como americanos

Sergey Brin
Sergey Brin, cofundador da Google, tinha seis anos de idade quando ele e sua família imigraram para os EUA para escapar do crescente antissemitismo da União Soviética (© Jeff Chiu/AP Images)

Os Estados Unidos lideram o mundo em assistência a refugiados no exterior até poderem retornar a seus países de maneira segura e voluntária.

Os Estados Unidos também têm uma longa tradição de oferecer refúgio para aqueles que fogem da perseguição e da guerra.

Para o Dia Mundial dos Refugiados*, o ShareAmerica destaca alguns dos muitos refugiados que foram para os EUA e deixaram sua marca como americanos.

GettyImages-990436616-1024x719
(© Bill O’Leary/The Washington Post/Getty Images)

Madeleine Albright se tornou a primeira mulher a atuar como secretária de Estado dos EUA em 1997. Filha de um diplomata tcheco, ela fugiu da Tchecoslováquia para a Inglaterra com sua família durante a Segunda Guerra Mundial. Eles retornaram após a derrota da Alemanha nazista.

No entanto, ela precisou escapar novamente, desta vez para os Estados Unidos, após a tomada comunista de seu país. Ela tinha 11 anos quando chegou à Ilha Ellis em 1948.

Safiya-034-Edit-1024x684
(© Michele Stapleton)

Aos 23 anos, Safiya Khalid foi a primeira somali americana a ganhar uma cadeira na Câmara Municipal em Lewiston, Maine, onde chegou como refugiada quando criança.

GettyImages-1128301301-1024x714
(© Jessica Rinaldi/The Boston Globe/Getty Images)

O ex-secretário de Estado Henry Kissinger e sua família fugiram da Alemanha nazista em 1938 para Nova York. Enquanto aprendia inglês, Kissinger também trabalhava em uma fábrica a fim de apoiar sua família. Como cidadão americano naturalizado, ele primeiro serviu como soldado de infantaria e, posteriormente, como agente da inteligência na Segunda Guerra Mundial.

AP_050408017759-696x965
(© Ron Schwane/AP Images)

A autor Loung Ung, que foi para os Estados Unidos como refugiado aos dez anos de idade, escapou do Camboja como sobrevivente de fome, trabalho forçado, doenças e assassinatos em massa sob o jugo do regime do Khmer Vermelho. Dentre as vítimas estavam seus pais, suas duas irmãs e pelo menos 20 outros parentes.

GettyImages-852305392-1024x666
(© Sophie Bassouls/Sygma/Getty Images)

O romancista Reinaldo Arena foi perseguido por sua homossexualidade durante o regime de Fidel Castro, que proibiu seus escritos. Ele fugiu de Cuba durante o êxodo de Mariel em 1980 e imigrou para os Estados Unidos.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada por ShureAmerica. Edição, Área Jornalística Oipol.

12039211_1010729348947797_4881491765367801011_n
Excelência em formação acadêmica, Área Acadêmica Oipol. Veja aqui…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: