Força policial do Peru apreende grande quantidade de cocaína em Cusco

A Divisão de Operações Especiais Antidrogas da Polícia Nacional do Peru confiscou 1.466 quilos de cocaína no dia 19 de junho, na província de La Convención, em Cusco, e prendeu 15 pessoas que transportavam a droga em mochilas até o vale do Rio Urubamba, para depois enviá-la por via aérea, informou o Ministério do Interior do Peru.

“O trabalho de inteligência nos permitiu planejar e infiltrar nossos agentes (…) nessas zonas inóspitas de Urubamba”, disse à Diálogo o Coronel Percy Pizarro Ramón, chefe da Divisão de Inteligência da Direção Antidrogas da Polícia. “Os mochileiros se deslocavam em grupos de 10 a 20 pessoas em viagens de sete dias. Cada mochileiro carrega aproximadamente 14 quilos de cocaína.”

Urubamba é, há muito tempo, uma rota de transporte de pasta de cocaína dos pés de montanha andinos até campos de processamento e pistas de aterrissagem clandestinas no Brasil, informou em dezembro, via Internet, o site de jornalismo ambiental independente Mongabay. As pistas de aterrissagem aparecem em novas áreas e os habitantes locais informam ter visto com mais frequência desconhecidos caminhando a pé, provavelmente mochileiros de coca, nas comunidades nativas mais remotas do país, informa o Mongabay.

“O modus operandi dessas redes de mochileiros é muito dinâmico e se ajusta muito bem às demandas que faz uma rede criminosa”, explicou o Cel Pizarro. “Uma vez armazenada a droga, que é produzida no Vale dos Rios Apurímac, Ene e Mantaro (VRAEM), os mochileiros a levam até outro ponto no VRAEM, onde outro grupo de pessoas realiza as coordenações finais para o transporte em pequenas aeronaves.”

As redes do narcotráfico buscam novas rotas no Peru a partir das quais poderão transportar suas cargas; as constantes apreensões no estado de Ucayali mostram a importância dessa região para a exportação de cocaína para a Bolívia e o Brasil, informou a InSight Crime, uma organização de investigação e jornalismo especializada no crime organizado na América Latina e no Caribe.

No dia 31 de março, as forças de segurança antinarcóticos peruanas confiscaram 320 kg de pasta base de cocaína em mochilas, prenderam nove pessoas e destruíram três pistas de aterrissagem clandestinas no distrito de Masisea, em Ucayali. A droga seria transportada para a Bolívia em pequenas aeronaves, onde seria processada e em seguida enviada para a Europa, informou o jornal peruano Ahora.

“Esses grupos foram melhorando suas respostas às ações policiais”, disse o Cel Pizarro. “Inicialmente, eles instalavam pistas clandestinas em zonas agrestes. Agora, eles colocam as pistas perto dos rios, das praias; há redes [criminosas] que instalam as pistas.”

É procedente assinalar que a informação foi facilitada por Julieta Pelcastre/Diálogo. Edição, Área Jornalística Oipol.

fala-serio-a-crise-2202
MESTRE EM DROGAS E TOXICOMANIAS… Área nos Estados Unidos A sociedade precisa de especialistas para o que foi chamado de “sexto poder”. O problema não é trivial, pois o tráfico de drogas é considerado o primeiro negócio do mundo em termos de volume de dinheiro manipulado (o segundo é o tráfico de armas). Acessar na Área Acadêmica Oipol …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: