Catorze oficiais do exército americano afastados por assédio e violência sexual

  • Além da soldado Vanessa Guillén assassinado por outro militar que se suicidou, o soldado nascido em Cabo Verde Élder Fernandes foi também encontrado morto

Voa News / Edição, Oipol – O exército dos Estados Unidos demitiu 14 oficiais superiores que trabalhavam na base de Fort Hood, no Estado do Texas, e ordenou profundas mudanças após uma ampla investigação independente sobre assédio e violência sexuais naquelas instalações, incluindo o assassinato da soldado Vanessa Guillen.

Em conferência de imprensa no Pentágono, o secretário do Exército Ryan McCarthy disse que um comité de revisão civil independente descobriu problemas generalizados na segunda maior instalação do exército do país, “incluindo falhas na investigação de crimes e falta de confiança na prevenção de crimes sexuais que levaram a um ambiente permissivo para agressão sexual e assédio”.

Secretário do Exército Ryan McCarthy fala com jornalistas no Pentágono

McCarthy acrescentou que os problemas em Fort Hood, entre eles assassinatos e desaparecimentos, estão “directamente relacionados a falhas de liderança” e acusou os dirigentes de terem impulsionado essa cultura.

Entre os exonerados de suas funções estão o comandante do Fort Hood no momento da morte de Guillén, o major-general Scott L. Efflandt, o coronel Ralph Overland e o major Bradley Knapp.

O Chefe do Estado-Maior do Exército, general James C. McConville, informou ter telefonado para a família Guillén antes da conferência de imprensa para se comprometer a transformar a base e disse à mãe de Vanessa Guillen que o Exército dos EUA era responsável pela morte da sua filha.

As medidas foram tomadas na sequência de um ano em que 25 soldados incorporados em Fort Hood morreram por suicídio, homicídio ou acidentes, incluindo a morte por espancamento de Vanessa Guillen.

As medidas administrativas deverão reforçar as investigações, que poderão conduzir à adopção de punições generalizadas, que podem ir de uma simples carta de repreensão até à expulsão das fileiras militares.

De acordo com os investigadores, Guillen, 20 anos, foi espancada até à morte pelo soldado especialista Aaron Robinson, que se suicidou a 1 de julho quando a polícia tentava prendê-lo.

A família da vítima disse que Robinson a agrediu sexualmente, apesar de o Exército referir que não existem provas sobre essa alegação.

Ainda em julho, o corpo do soldado Mejhor Morta foi encontrado perto de um reservatório de água perto da base.

Elder Fernandes, soldado americano nascido em Cabo Verde

Soldado nascido em Cabo Verde também encontrado morto

Antes, em junho, os restos de outro soldado desaparecido, Gregory Morales, foram encontrados a cerca de 16 quilómetros desse local.

A 26 de agosto, o soldado americano nascido em Cabo Verde, Élder Fernandes, dado como desaparecido desde o dia 17, foi encontrado morto aparentemente pendurado numa árvore, a 30 milhas da base de Fort Hood, onde ele prestava serviço.

A polícia ordenou uma autópsia para determinar as causas da morte, mas até agora admitiu não haver sinais de crime.

A investigação da morte de Fernandes não foi concluída ainda.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: