Ações simultâneas da Policia Federal investiga crimes relacionados às eleições

  • Operação Olhos de Lince faze parte dos atividades realizadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral – CICCE/2018 e são resultado do trabalho desenvolvido pela Polícia Federal no acompanhamento das redes sociais

cropped-a-foto-polc3adacia-federal-do-brasil3.jpgBrasília/DF – Rio de Janeiro/RJ- A Polícia Federal desencadeou, no dia 24 de outubro, a Operação Olhos de Lince, que executa nove ações simultâneas, com o intuito de coibir crimes relacionados às eleições de 2018.

Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, nos municípios de São Paulo/SP, Sorocaba/SP, Uberlândia/MG e Caxias do Sul/RS; bem como sendo lavrados cinco Termos Circunstanciados de Ocorrência, com a intimação dos investigados, em dois municípios mineiros e em Recife/PE. Também estão sendo intimidadas pessoas para oitiva em Nova Iguaçu/RJ e no Estado do Pará.

As ações fazem parte dos atividades realizadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral – CICCE/2018 e são resultado do trabalho desenvolvido pela Polícia Federal no acompanhamento das redes sociais, com o objetivo de identificar e evitar possíveis crimes eleitorais e ameaças aos candidatos que concorrem ao pleito.

Para a identificação dos investigados, foram utilizadas técnicas de reconhecimento facial que, por meio de critérios científicos, permitem a realização  de análises e comparações das características faciais, tais como  cicatrizes, manchas e proporções, possibilitando a identificação de forma técnica e precisa dos suspeitos.

Na ação  de hoje, são   apurados pela PF, conforme o caso, os crimes de violação do sigilo do voto e de incitação à prática do crime de homicídio, respondendo, os investigados, na medida de suas participações.

Cabe assinalar que a informação foi fornecida pela Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Foto OIPOL
Membresía OIPOL

Aprofundam investigações de possíveis ameaças ao processo eleitoral no Brasil

  • Retomam as atividades do CICEE
  • Dentro das ações que integram o conjunto de atividades desenvolvidas CICCE em Brasília, em 10 de outubro de 2018, foram realizadas três operações simultâneas com o objetivo de indagar sobre vídeos que circularam recentemente nas redes sociais
A Foto PF- - -
Foto PF

Brasília/DF – A Polícia Federal informa que as atividades do Centro Integrado de Comando e Controle das Eleições Gerais de 2018 (CICCE/2018) foram retomadas. O CICCE funcionará até 28 de outubro de 2018, das 8h às 18h.

O CICCE funciona em instalações próprias da Polícia Federal (EQSW 103/104, Lote 01, Bloco A – Setor Sudoeste, Brasília/DF) e, nos mesmos moldes do período do funcionamento durante o primeiro turno, será composto por 14 instituições e órgãos parceiros, visando subsidiar a atuação da Polícia Federal, como polícia judiciária eleitoral, e a Justiça Eleitoral.

Dentro das ações que integram o conjunto de atividades desenvolvidas CICCE em Brasília, em 10 de outubro de 2018, foram realizadas três operações simultâneas com o objetivo de aprofundar as investigações sobre vídeos que circularam recentemente nas redes sociais para identificar e afastar possíveis ameaças ao processo eleitoral de 2018.

As ações ocorreram nos estados do Paraná, São Paulo e Sergipe, e os investigados poderão responder pelos crimes de violação de sigilo do voto e porte ilegal de arma (no caso do Paraná) e por incitação de crime contra candidatos (Sergipe e São Paulo). As investigações foram encaminhadas à Justiça Eleitoral dos respectivos Estados para o devido processo legal.

Estatísticas dos procedimentos afetos às atividades da Polícia Federal em todo território nacional desde o início do CICCE, em 01/10/2018:

1-) lavrados 241 Termos Circunstanciados de Ocorrências;

2-) instaurados 214 Inquéritos Policiais;

3-) 445 pessoas conduzidas às Delegacias de Polícia Federal;

4-) R$ 2.643.481,80 em bens apreendidos;

Três maiores incidências penais:

  1. I) art. 39 da Lei nº 9504/97 (Lei das Eleições) “boca de urna”
  2. II) art. 299 da Lei nº 4737/65 (Código Eleitoral) “compra de votos”

III) art. 350 da Lei nº 4737/65 (Código Eleitoral) “falsidade ideológica para fins eleitorais”.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

trauma_cero1
Patrocinado pela Área equipamentos OIPOL

Investigam crimes relacionados às eleições Brasil de 2018

A Foto PF- - -
Foto PF

Brasília/DF – A Polícia Federal desencadeou na quarta-feira (10/10) três ações simultâneas com intuito de investigar e coibir crimes relacionados às eleições de 2018.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão no estado do Paraná e a lavratura de dois Termos Circunstanciado de Ocorrência nos estados de São Paulo e Sergipe.

As ações de do dia 10 de outubro, que integram o conjunto de atividades desenvolvidas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Eleitoral – CICCE/2018 em Brasília, tem como objetivo aprofundar as investigações sobre vídeos que circularam recentemente nas redes sociais e  decorrem do trabalho de acompanhamento  efetuado pela PF para identificar e afastar possíveis ameaças ao processo eleitoral de 2018.

Os investigados poderão responder, no caso do estado do Paraná, pelos crimes de violação de sigilo do voto e porte ilegal de arma; e, no caso do estados de Sergipe e São Paulo, pela incitação de crime contra candidatos.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal do Brasil, Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia/RO. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

imagen de Google
Equipamento OIPOL, para as Forças

Resume de Operação Eleições do Brasil

  • Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registra 2.400 trocas de urnas e 149 prisões em dia de votação

A Foto PF- -Brasilia, DF / Rio de Janeiro – As eleições terminaram com 2.400 urnas substituídas, o que representa 0,46 por cento do total de equipamentos instalados país afora, e com 149 casos de prisões, mostraram dados divulgados neste domingo pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Em apenas três seções —nos municípios paulistas de Botucatu e Juquiá e na cidade de Três Coroas (RS)— foi necessário realizar votação manual. De acordo com o TSE, no pleito deste ano foram utilizadas quase 454,5 mil urnas.

Entre as ocorrências, o Tribunal informou que o total de prisões de não candidatos somou 144, sendo que Santa Catarina registrou o maior número de detenções, 36 pessoas foram presas.

Já as ocorrências envolvendo candidatos terminaram com cinco prisões, sendo que Paraíba, Rio Grande do Sul e São Paulo registraram uma detenção cada, e outras duas pessoas foram presas no Rio de Janeiro.

O TSE relatou que, no total, foram registradas 388 ocorrências, considerando-se casos envolvendo candidatos e não candidatos e com ou sem prisão.

Balanço da Polícia Federal

Segundo nota à imprensa, datada em Brasília, DF, a Polícia Federal apresentou balanço da sua atuação no 1° turno das Eleições Gerais 2018.

A informação oficial  diz que, a operação de apoio à Justiça Eleitoral, que será mantida durante a apuração e segundo turno, contou com a mobilização de 4 mil policiais federais.

Até às 20h do domingo (7/10), nas ocorrências relacionadas a crimes eleitorais, foram registrados 220 termos circunstanciados e instaurados 51 inquéritos policiais. Além disso, 389 pessoas foram conduzidas à PF pela prática de infrações à legislação eleitoral. Foram realizadas 160 apreensões, totalizando  R$ 480 mil em dinheiro e bens.

A Polícia Federal seguirá apurando, por meio dos respectivos inquéritos policiais, todos o casos de notícias falsas (fake news) que possam configurar infrações penais.

Por outro lado, OIPOL ouviu diversas denuncias de eleitores relatando problemas com urnas na hora de vota. Alguns comentários disseram que, quando colocavam o número, na urna, de um candidato aparecia outro. Também muitas filas no Rio de Janeiro, as pessoas ficarão em alguns locais varias horas para poder cumprir com a obrigação.

É procedente dizer que a informação foi fornecida pela Reuters y pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Repórter Mateus Maia. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Vídeo vinculado

ARGO (90)
Equipamento OIPOL, fazer click aquí

Brasil lançou operação eleições de segurança

  • Tropas Federais estarão pelo menos em 11 estados neste domingo
  • Agentes reforçarão segurança nas eleições em mais de 500 localidades

A Foto Agência Brasil --Rio de Janeiro – Até agora, 510 localidades brasileiras terão a segurança reforçada no domingo (7) por forças federais durante o primeiro turno das eleições. Segundo último balanço do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgado na noite dessa terça-feira (2), os agentes atuarão, no total, em 11 estados. A maioria das zonas eleitorais que vão ter apoio está no Rio de Janeiro (106), seguido do Pará (46) e Piauí (43).

Os ministros do TSE já haviam aprovado o apoio para localidades de outros oito estados: Amazonas, Acre, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Tocantins. Entre as localidades estão aldeias indígenas, distritos, comunidades ribeirinhas.

A atuação das forças federais nas eleições está prevista na Lei 4.737/1965 (Código Eleitoral) e tem como objetivo garantir a normalidade do pleito, o livre exercício do voto e o bom andamento da apuração dos resultados. Depois de aprovados pelo TSE, os pedidos são encaminhados ao Ministério da Defesa, órgão responsável pelo planejamento e execução de ações das Forças Armadas.

Veja aqui a tabela com as localidades que já tiveram a atuação das tropas aprovada pela Justiça Eleitoral.

Background-1
Equipamento Militar e policial OIPOL

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: