Desarticulam organização criminosa especializada no transporte internacional de drogas

  • Polícia Federal deflagra ação para desarticular organização criminosa usava aeronaves para o traslado
  • Narcotráfico para o Brasil, Estados Unidos e Europa
A Foto Agência Brasil -- ---
Foto Agência Brasil (EBC)

Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou o dia 21 de fevereiro a Operação Flak para desarticular uma organização criminosa especializada no transporte aéreo de drogas para o Brasil, Estados Unidos e Europa. No total, são cumpridos 54 mandados de prisão e 81 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas (TO).

A investigação começou há dois anos, no período de 2017 a 2018. Foram identificados 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, no total de mais de nove toneladas.

Segundo os investigadores, aviões eram adulterados para ter mais tempo de vôo.

Estados

A operação é executada em Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo, Ceará e no Distrito Federal. Mais de 400 policiais federais estão envolvidos.

Também participam a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás (GRAER/PMGO).

Há, ainda, o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas, a apreensão de 47 aeronaves, o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino e a inclusão de seis pessoas no Sistema de Difusão Vermelha da Interpol.

Crimes

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

O nome da operação Flak faz alusão a uma expressão utilizada pelos países aliados durante a Segunda Guerra Mundial para se referirem à artilharia antiaérea alemã.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

international mini 0
Plantão Área Auxilio Jurídico OIPOL, ligue já…

Operações para combater o narcotráfico no Brasil

  • Polícia Federal combate tráfico internacional de drogas por meio de “mulas” em Santa Catarina
  • Investigação, que iniciou em agosto de 2018, apreende aproximadamente 560 kg de maconha e três veículos em Espirito Santo

A Foto Políacia Federal do Brasil - - --- - -Florianópolis/SC – Vila Velha/ES – Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagrou o dia 31 de janeiro a  Operação Schengen, para reprimir grupos criminosos envolvidos com tráfico internacional de drogas, em Santa Catarina. O esquema criminoso consistia no aliciamento de pessoas para transportarem para o exterior cargas de drogas, em viagens comuns para a Europa.

Foram cumpridos dez mandados de prisão e dez mandados de busca e apreensão, em Florianópolis/SC e São José/SC, todos expedidos pela Justiça Federal desta capital.

De acordo com as investigações, os envolvidos transportavam ou aliciavam pessoas para transportarem entre 2,5 a 3kg, de cocaína para Europa e voltavam ao Brasil com droga sintética, conhecido com ecstasy ou bala. Essas pessoas eram atraídas pelos valores em dinheiro oferecidos e pela oportunidade de visitar países europeus.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de drogas internacional, associação para o tráfico e por integrar organização criminosa, crimes previstos em Lei cujas penas máximas somadas podem ultrapassar 33 anos de prisão.

Operação em Espírito Santo

Por outro lado, a Polícia Federal deflagrou o mesmo dia 31 de janeiro a Operação Ponta Sul, com objetivo de desarticular quadrilha que atua no tráfico de drogas, no Espírito Santo.

Policiais federais cumpriram 8 mandados de busca e apreensão e 05 mandados de prisão preventiva, nas cidades Vitória/ES, Vila Velha/ES e Linhares/ES.

A investigação teve início em agosto de 2018, quando foram apreendidos aproximadamente 560 kg de maconha e três veículos, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim/ES. Na ocasião os condutores dos veículos não atenderam à ordem de parada emitida pelos policiais e empreenderam fuga, abandonando os veículos com o carregamento de droga. As investigações prosseguiram, e os responsáveis foram identificados e presos hoje.

Na ação de hoje, foram apreendidas duas submetralhadoras de aparente produção artesanal, uma espingarda, um revólver e 110 munições, além de pequena quantidade de cocaína, documentos e dispositivos de armazenamento digital.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal em Santa Catarina e Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Auxílio Jurídico OIPOL, de plantão… 

Federais do Brasil desarticulam esquema internacional de tráfico de armas

  • Foram detectadas diversas remessas de peças e acessórios de fuzis encaminhadas junto com produtos lícitos como andadores, peças de motocicletas, churrasqueiras, barracas de camping, a fim de dissimular seu conteúdo

A Foto Policia Federal do Brasil -Vila Velha/ES, Rio de Janeiro, Brasil – A Polícia Federal deflagrou o dia 22 de janeiro nova fase da Operação Desmonte, para desarticular esquema internacional de tráfico de armas de fogo, no Espírito Santo.

Policiais federais deram cumprimento a dois mandados de busca e apreensão no município de Cariacica/ES.

De acordo com as investigações, as armas eram trazidas dos Estados Unidos para a região da Grande Vitória. Elas eram usadas para fortalecer grupos criminosos especializados em tráficos de drogas, no Estado.

Foram detectadas diversas remessas de peças e acessórios de fuzis encaminhadas junto com produtos lícitos como andadores, peças de motocicletas, churrasqueiras, barracas de camping, a fim de dissimular seu conteúdo.

Nos locais de cumprimento das buscas foram apreendidos materiais de interesse à investigação, a qual continua em andamento com o objetivo de responsabilizar toda a organização criminosa. Não houve prisões.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

ARGO (90)
Equipamento OIPOL, fazer click aquí…

Operações policiais contra o crime em diversos locais do Brasil

  • Polícia Federal flagra casal em BR 156 com arma calibre 12, com 25 munições, um rifle calibre 30-30 Winchester, de uso restrit,o com 12 munições e uma pistola calibre 380, com 52 munições, além de 965 carteiras de cigarro contrabandeado.
  • Passageiro com 13 tijolos de cocaína e oito passageiros tentando embarcar com drogas em voos internacionais no Aeroporto Internacional de São Paulo
A Foto Polícia Federal do Brasil - - --- - -
Foto Polícia Federal do Brasil

Macapá/AP – Guarulhos/SP –  A Polícia Federal prendeu na quinta-feira (27/12) um casal por porte ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito e contrabando, na BR 156, com destino à Macapá/AP.

Policiais Federais abordaram um veículo que seguia sentido Macapá, na BR 156. No automóvel estavam um indivíduo, de 44 anos, que já tem passagem na polícia por porte ilegal de arma de fogo e trabalhava no garimpo do Suriname, e sua esposa. Os dois estavam indo para a cidade de Monção/MA.

Com o casal foram encontradas uma arma calibre 12, com 25 munições, um rifle calibre 30-30 Winchester, de uso restrit,o com 12 munições e uma pistola calibre 380, com 52 munições, além de 965 carteiras de cigarro contrabandeado.

Os presos foram encaminhados ao sistema prisional, onde permanecerão à disposição da Justiça. Se condenados, poderão cumprir pena de até 11 anos de reclusão.

 Drogas na bagagem

A Foto Políacia Federal do Brasil - ---
Foto Polícia Federal do Brasil

A Polícia Federal prendeu, no Aeroporto Internacional de São Paulo, na mesma quinta-feira (27/12), um passageiro tentando embarcar com drogas na bagagem.

A PF foi acionada ante suspeita de droga na mala despachada de um passageiro que embarcaria em um voo com destino à Frankfurt/Alemanha. Após localizarem o responsável pela mala, um brasileiro, de 25 anos, os policiais o conduziram até a delegacia, onde a mala foi aberta, constatando-se que no seu interior havia um fundo falso contendo blocos de um pó branco prensado. A perícia constatou tratar-se de cocaína, cujo volume somou aproximadamente 10 kg.

O preso foi encaminhado ao presídio estadual, onde ficara à disposição da Justiça.

A Foto Polícia Federal do Brasil - - -
Foto Polícia Federal do Brasil

Drogas em voos internacionais

No Aeroporto Internacional de São Paulo, a Polícia Federal, prendeu no último final de semana, oito passageiros tentando embarcar com drogas em voos internacionais.

Na-feira (21/12), uma brasileira, de 25 anos, e um brasileiro, de 23 anos, que estavam viajando juntos, foram presos tentando embarcar em um voo com destino a Frankfurt/Alemanha, transportando aproximadamente 20 kg de cocaína em fundo falso da mala.

Em outra ação realizada no sábado (22/12), a PF prendeu um italiano, de 83 anos, tentando embarcar em um voo com destino a Lisboa/Portugal, com aproximadamente 3 kg de cocaína em fundo falso da mala. No mesmo dia, outra equipe de policiais, que fiscalizava as bagagens despachadas, prendeu uma brasileira, de 54 anos, que tinha como destino final Paris/França. Após o aparelho de raio-x detectar que a mala da conduzida continha substâncias com aparência de droga, foi realizado o narcoteste, que apresentou resultado positivo para cocaína. Aproximadamente 2 kg estavam em três volumes dentro de um embrulho de papel presente.

Outra equipe de policiais, em nova ação, abordou uma brasileira, de 25 anos, que tinha como destino final Lisboa/Portugal. Ela confessou ter engolido cápsulas com substância entorpecente. A mulher foi encaminhada para o hospital e, após a extração, foi realizado o teste na substância que resultou positivo para cocaína.

No domingo (23/12), policiais federais prenderam uma brasileira, de 26 anos, que tinha como destino final Hong Kong, após ser detectado que havia um volume excessivo no sutiã da passageira. Posteriormente, ela confessou estar transportando droga. No plantão policial, após a revista pessoal, foi constatado que, nas duas partes do sutiã, havia um forro e substância líquidas acondicionadas em preservativos. Foi realizada perícia, que comprovou tratar-se de cocaína líquida.

No mesmo dia, a PF prendeu na fila de check-in um casal de brasileiros que aparentavam certo nervosismo. O homem, de 21 anos, e a mulher, de 22 anos, tinham como destino Lisboa/Portugal. Após submeter as malas no aparelho de raio-x, foi identificada a existência de matéria orgânica na bagagem. Em sede policial, as duas malas foram abertas, localizando-se no interior das duas um total de seis invólucros. Após realizado o teste na substância encontrada, foi constatado que se tratava de cocaína, somando aproximadamente 5 kg.

Os presos serão encaminhados ao presídio estadual, onde ficarão à disposição da Justiça.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

 

Nova operação brasileira no combate internacional de drogas

  • Ação da Polícia Federal para desarticular grupo criminoso especializado em tráfico internacional de drogas
  • Nas ações desenvolvidas pela PF, destaca-se a Cooperação Internacional mantida entre a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai – SENAD, que culminou no encerramento de 41 empresas, apreensão de 42 mil cabeças de gado e o sequestro de 31 fazendas em solo paraguaio

A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -Curitiba/PR – A Polícia Federal deflagrou o dia 22 de novembro a Operação Sem Saída, no Mato Grosso e no Paraná, para desarticular organização criminosa ligada a mega traficante internacional, conhecido como Cabeça Branca, preso em 1/7/2018. A ação de hoje é um desdobramento da Operação Spectrum, que está em sua 4ª fase ostensiva.

Aproximadamente 100 policiais federais cumpriram 18 ordens judiciais, em Curitiba, em Brasnorte, em Tapurah, em Juara, Nova Maringá, no Paraná, e em Cuiabá, no Mato Grosso. Foram cumpridos 2 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão.

De acordo com as investigações, a organização criminosa, mesmo após a prisão do traficante, mantinha atuação em atividades criminosas. Nas ações desenvolvidas pela PF, destaca-se a Cooperação Internacional mantida entre a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai – SENAD, que culminou no encerramento de 41 empresas, apreensão de 42 mil cabeças de gado e o sequestro de 31 fazendas em solo paraguaio.

O objetivo desta fase é reunir alimentos probatórios  da prática dos crimes de lavagem de dinheiro contra o Sistema Financeiro Nacional, organização criminosa, associação  para o tráfico internacional de drogas, dentre outros delitos. Somente  nesta Operação o patrimônio arrecadado será de mais de R$ 100 milhões, considerando que somente em fazendas são mais de 11 mil hectares. Trata-se de uma das maiores operações da PF na desarticulação patrimonial de organização criminosa, com atuação no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Será concedida entrevista coletiva, às 10h, no Auditório da Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal no Paraná. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

94a3006a-405d-48ec-8c03-66f23c7de4d1 (1)
Área Assessoramento Jurídico OIPOL, para todos os funcionários de Segurança Pública…

Operação brasileira contra as atividades internacionais ilícitas

A Foto Políacia Federal do Brasil - - --- -Guarulhos/São Paulos – A Polícia Federal prendeu, entre os dias 11 e 15 de outubro no Aeroporto Internacional de São Paulo, nove passageiros de voos internacionais por atividades ilícitas.

Na quinta-feira, 11, policiais federais que atuam no controle migratório prenderam um passageiro, nacional do Paquistão, de 29 anos, que tentou realizar os procedimentos migratórios apresentando um passaporte inglês falso.

Em outra ação, ocorrida na sexta-feira, 12, um homem angolano, de 32 anos, foi detido por policiais federais quando apresentou um passaporte pertencente a outra pessoa, na tentativa de embarcar para Frankfurt, na Alemanha.

No mesmo dia, em outras ações, foram presos 3 passageiros com drogas nas bagagens despachadas. Servidores da Receita Federal, com o auxílio de cães de faro, fiscalizavam as bagagens despachadas para o voo com destino a Addis Ababa, na Etiópia, quando, em momentos distintos, os cães sinalizaram para as malas pertencentes a três passageiros: um nigeriano, de 33 anos, que ingressou no Brasil em 2016 beneficiado pela Lei do Refúgio; um beninense, de 18 anos; e outro nigeriano, de 56 anos. Os dois últimos, possuidores de Registro Nacional de Estrangeiro. A PF foi acionada e localizou os passageiros, conduzindo-os para a delegacia para acompanhar a realização de exames periciais em seus pertences. Em uma das malas, a pertencente ao solicitante de refúgio, havia seis garrafas contendo mais de nove quilos de cocaína diluída. Na bagagem do beninense, foram encontrados 62 pacotes de pó descolorante, cujo conteúdo era cocaína, cujo volume somou quase cinco quilos. Por fim, em duas malas pertencentes ao outro passageiro nigeriano foram encontrados, ocultos dentro de 32 feixes de mola de veículos, mais de sete quilos de cocaína.

Todos foram presos em flagrante por tráfico de drogas.

Na manhã do sábado, 13, servidores da Receita Federal selecionaram um homem, nacional da China, que desembarcou de voo procedente de seu país e que havia se encaminhado ao canal verde, indicado aos passageiros que não têm mercadorias a declarar ao fisco. Os servidores encontraram com o homem, de 60 anos, uma grande quantidade de tênis e roupas de marca, cujo valor supera o limite permitido pela legislação. O homem, que já havia sido preso anteriormente pelo mesmo crime e liberado mediante pagamento de fiança, foi conduzido à delegacia da PF. Foi instaurado em desfavor do estrangeiro um novo inquérito pela prática do crime de descaminho.

No domingo, 14, policiais federais prenderam uma passageira que levava consigo 10 fósseis de peixes sem a devida autorização legal. A mulher, nacional da China, de 56 anos, já havia sido indiciada, anteriormente, por crime contra o Sistema Financeiro Nacional, quando tentou embarcar para o exterior com um quilo de ouro. A passageira presa, tinha como destino a cidade de Madri, na Espanha. No final deste mesmo dia, foi preso um brasileiro que tentou embarcar para o exterior, mas foi impedido em razão de mandado de prisão expedido pela 4ª Vara Federal do Amazonas.

Na madrugada desta segunda-feira, 15, uma mulher, de 41 anos, nacional das Filipinas, ocultava dentro de 16 livros infantis, 32 pacotes contendo cocaína, cujo volume totalizou 12 quilos. Ela pretendia levar a droga para o Catar, mas foi presa pelos policiais federais após a realização dos exames periciais confirmarem que a substância encontrada nos livros era cocaína.

Os presos serão conduzidos aos presídios estaduais, onde permanecerão à disposição da Justiça.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos.Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

A INTERNATIONAL1 (1)
Área Acadêmica OIPOL, veja cursos e carreiras.

Intensificação de cooperação internacional da Polícia Federal do Brasil

cropped-a-foto-polc3adacia-federal-do-brasil3.jpgBrasília/DF – A Polícia Federal vem ampliando as atividades de cooperação policial internacional nas últimas semanas. Dois brasileiros, um paraguaio e um inglês com mandados de prisão em aberto e incluídos na lista de Difusão Vermelha da Interpol, foram capturados.

Na segunda-feira (13), um brasileiro pertencente à facção criminosa atuante no tráfico internacional de drogas foi localizado em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, e preso em Corumbá/MS. Com o apoio das forças policiais bolivianas, foi possível realizar a prisão do apontado como responsável pela logística do tráfico na fronteira entre Brasil e Bolívia.

No dia 09 de agosto, a Polícia Federal prendeu um paraguaio que tentava ingressar na Argentina por Foz do Iguaçu/PR. O cidadão estava com mandado de prisão em aberto por tráfico de entorpecentes. Ele é suspeito da ocultação de grande quantidade de maconha em 25 toneladas de arroz na região de Ribeirão das Neves/MG. A prisão foi fruto da cooperação policial com as forças policiais argentinas, que detectaram a difusão vermelha e alertaram a PF.

A outra prisão ocorreu em 04 de agosto, quando um dos principais suspeitos pelo desaparecimento de brasileiros durante travessia ilegal das Bahamas para os Estados Unidos foi capturado no Panamá. O brasileiro é investigado na Operação Piraras do Caribe, que apura uma rede de facilitação de imigração ilegal.

Também foi preso no último dia 03 de agosto, na Itália, um inglês indicado como dono de mais de uma tonelada de cocaína apreendida em um veleiro em Cabo Verde, em agosto de 2017. A prisão foi pedida pela PF em investigação que concluiu ser ele um dos responsáveis pela logística de transporte da cocaína entre o Brasil e a Europa.

As ações contam com o apoio do Centro de Cooperação Policial Internacional (CCPI), que funciona na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro. O Centro tem por finalidade fortalecer a integração entre os países no âmbito das investigações voltadas à repressão da criminalidade organizada transnacional e abriga, atualmente, policiais da Argentina, Bolívia, Peru e Paraguai, sendo aguardada a chegada de policiais da Colômbia nas próximas semanas.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

A INTERNATIONAL1 (1)
Membresia POIPOL

 

Federais brasileiros deflagram operação contra tráfico internacional de pessoas

  • A investigação conclui que transexuais estavam sendo aliciadas pelas redes sociais com promessas da realização de procedimentos cirúrgicos para a transformação facial e corporal e da participação em concursos de misses na Itália

A Foto Políacia Federal do Brasil 5Ribeirão Preto, São Paulo – Rio de Janeiro – A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público Federal (MPF), deflagra na manhã do dia 9 de agosto, em Franca/SP, a Operação Fada Madrinha, para repressão ao tráfico internacional de pessoas e ao trabalho escravo.

Mais de 50 policiais federais deram cumprimento a cinco mandados de prisão preventiva e oito mandados de busca e apreensão nas cidades paulistas de Franca e São Paulo, Leopoldina, em Minas Gerais, além de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Jataí e Rio Verde, no estado de Goiás, todos expedidos pela 2ª Vara Federal de Franca, SP.

A investigação teve início em novembro de 2017, quando a Polícia Federal recebeu informações de que transexuais estavam sendo aliciadas pelas redes sociais com promessas da realização de procedimentos cirúrgicos para a transformação facial e corporal e da participação em concursos de misses na Itália.

As investigações apontam que as vítimas, ao chegarem à cidade de Franca em busca das promessas, eram submetidas à exploração sexual e à condição análoga à de escravidão, sendo obrigadas a adquirir itens diversos dos investigados (roupas, perucas, sapatos etc.), o que as levava a um ciclo de endividamento.

Os investigados aplicavam silicone industrial no corpo das vítimas e as encaminhavam para clínicas médicas para implante de próteses mamárias, havendo indícios de que as próteses utilizadas eram provenientes de reuso.

As vítimas consideradas mais bonitas e promissoras eram enviadas à Itália para a participação em concursos de misses, tudo a expensas dos investigados, o que dava causa a um novo ciclo de endividamento. Naquele país, eram novamente submetidas à exploração sexual para o pagamento de suas dívidas com o grupo criminoso.

No decurso das investigações foi apurado que esquema semelhante ao de Franca estava em curso nos estados de Goiás e de Minas Gerais e que havia uma parceria comercial entre os investigados, mediante o intercâmbio das vítimas.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de tráfico internacional de pessoas, redução à condição análoga à de escravo, associação criminosa, exploração sexual e exercício ilegal da medicina. Se condenados, as penas podem ultrapassar 25 anos de reclusão.

Acompanharam as diligências nesta data representantes do Ministério do Trabalho e Emprego e da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que ficarão responsáveis por medidas protetivas às vítimas.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal em Ribeirão Preto, São Paulo. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Foto OIPOL
Carreiras na OIPOL

Operação com o objetivo de desarticular quadrilha do narcotráfico internacional

No decorrer da investigação, cerca de 4 toneladas de cocaína foram apreendidas em portos do Brasil (Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Santos/SP, Salvador/BA e Suape/PE); sendo possível a identificação também do destino da droga e a desarticulação do braço da quadrilha no exterior

A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagra o 9 de julho a Operação Antigoon*, que visa desarticular uma quadrilha especializada em tráfico transnacional de drogas que utilizava do modal marítimo para cometer o crime.  Aproximadamente 100 policiais federais cumpriram 21 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão preventiva nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

As investigações da PF, que duraram aproximadamente um ano e contaram com o apoio da Receita Federal, apontam que a quadrilha agia enviando drogas para a Europa através de contêineres que eram transportados em navios de carga.

No decorrer da investigação, cerca de 4 toneladas de cocaína foram apreendidas em portos do Brasil (Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Santos/SP, Salvador/BA e Suape/PE); sendo possível a identificação também do destino da droga e a desarticulação do braço da quadrilha no exterior.

Também foram realizadas apreensões nos portos de Antuérpia, na Bélgica; Gioia Tauro, na Itália e Valência, na Espanha, utilizando-se dos institutos de cooperação policial internacional para a difusão do conhecimento aos demais países. Tal cooperação deu-se através das Adidâncias Policiais da PF no exterior, bem como através dos representantes das polícias estrangeiras que atuam no Brasil.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, por tráfico transnacional de drogas e associação para o tráfico, cujas penas podem chegar a 25 anos de reclusão.

*Antigoon é uma referência a uma lenda sobre a origem do nome da cidade de Antuérpia, principal destino da droga na Europa. Segundo a lenda, um gigante chamado Antigoon cobrava valores de quem atravessasse o rio Escalda e cortava uma das mãos daqueles que se recusassem a pagar. Antigoon foi morto por um jovem chamado Brabo, que cortou a mão do próprio gigante e atirou-a ao rio. Daí o nome Antwerpen; do holandês hand (mão) e wearpan (arremessar).

É preciso dizer que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

93616dea-1378-44d7-a460-19e0292085e2
Carreiras na OIPOL. Área em espanhol

Investigação dos federais do Brasil consegue aprender cerca de quatro toneladas de cocaína

Polícia Federal realiza operação contra tráfico internacional de drogas

A Foto Policia Federal do Brasil -Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira operação para combater uma quadrilha que enviava drogas para a Europa através de navios de carga, em investigação que apreendeu cerca de 4 toneladas de cocaína em portos brasileiros e europeus, informou a PF em comunicado.

Como parte da chamada operação Antigoon, aproximadamente 100 policiais cumprem 21 mandados de busca e apreensão e 15 de prisão preventiva nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

Ao longo de quase um ano de investigação foram apreendidas cerca de 4 toneladas de cocaína nos portos do Rio de Janeiro, Vitória, Santos, Salvador e Suape, segundo a PF.

“Também foram realizadas apreensões nos portos de Antuérpia, na Bélgica; Gioia Tauro, na Itália e Valência, na Espanha, utilizando-se dos institutos de cooperação policial internacional para a difusão do conhecimento aos demais países”, acrescentou a PF em comunicado.

Os investigados, suspeitos de enviar a droga para a Europa através de contêineres transportados em navios de carga, responderão por tráfico transnacional de drogas e associação para o tráfico.

O nome da operação, Antigoon, faz referência a uma lenda sobre a origem do nome da cidade de Antuérpia, na Bélgica, principal destino da droga na Europa.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Reuters. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

21143587_1845144122177382_2035606119375699968_n
Carreiras em OIPOL / SCUS

Nomeação do Coordenador Internacional Especial OIPOL

EditadaRio de Janeiro – Nomeação 101, de natureza especial, da Direção Geral OIPOL

Desde o 22 de junho deste ano, a Organização Internacional de Polícia (OIPOL) nomeou o Coronel José Manuel González Quirós Rodríguez como Coordenador Internacional Especial. Quem cumpriu os requisitos da organização e, por meio de uma Declaração Juramentada, exibiu um histórico dentro dos protocolos da OIPOL. Por outro lado, a organização também deposita no Diretor a missão que contém seu Regulamento Interno de “Diretores e Delegados Regionais”. O novo diretivo, também assume a responsabilidade de cumprir rigorosamente os objetivos claros da Organização Internacional de Polícia (OIPOL); luta contra o terrorismo, o tráfico de pessoas, o narcotráfico, o crime organizado em geral e a segurança da sociedade.

Sobre o Coronel Quirós

  • Tenente-Coronel da Polícia Municipal, República Dominicana.
  • Tenente-Coronel da Academia Dominicana da Polícia Municipal, República Dominicana.
  • Capitão do Corpo de Bombeiros, República Dominicana.
  • Escolta Internacional
  • Escolta Internacional (Tactics S.W.A.T. em V.I.P. Operações de Proteção em Áreas de Alto Risco, Organização Mundial S.W.A.T. – Equador.
  • Chefe de Acompanhantes da Escola Latino-Americana de Segurança. (Equador).
  • Escolta Militar Internacional. (Batalhão das Forças Especiais, General José Gregorio Monagas, Venezuela.)
  • Operador Tático Internacional, Organização Mundial S.W.A.T. (Equador).
  • Embaixador da República Dominicana e Espanha da NOHE / ONU, Noble Order for Human Excellence. Nações Unidas.

Cabe dizer que isto é uma historia reduzida de o currículo de o Tenente Coronel José Quirós.

Nota Editada pela Superintendência OIPOL.

A INTERNATIONAL1 (1)
Carreiras na OIPOL

 

Brasil realiza programa de cooperação entre policiais de diversos países

Polícia Federal concretizou o 19º ciclo do programa INTERCOPS

Foto Polícia Federal do Brasil
Foto Polícia Federal do Brasil

Guarulhos/SP – Rio de Janeiro/RJ, Brasil – A Polícia Federal iniciou na segunda-feira (12/3) o 19º Ciclo do Programa de Cooperação Internacional em Aeroportos, o INTERCOPS.

Com duração programada de duas semanas, o INTERCOPS conta, nesta oportunidade, com a participação de representantes da Interpol e dos países Argentina, Barbados, Costa do Marfim, Etiópia, Gâmbia, Gana, Guiné Bissau Jamaica, Nigéria, Quênia e Togo, além de policiais federais brasileiros e coordenadores da ANP. Dentre as diversas atividades a serem desenvolvidas pelos policiais dos países participantes, estão a difusão de técnicas para o combate a atividades criminosas e identificação de seus autores, o aprofundamento dos conhecimentos relativos aos exames periciais aplicados aos mais variados tipos de ambientes e realização de atividades de campo.

O programa INTERCOPS foi desenvolvido pela Polícia Federal brasileira para facilitar o intercâmbio de experiências e informações na área de investigação criminal, imigração e segurança em aeroportos. O INTERCOPS ganhou abrangência internacional a partir da parceria firmada com o AIRCOP, que é um programa da ONU para interdição de drogas em aeroportos. Neste 19º ciclo, contabiliza mais de 50 países participantes um número superior a 160 profissionais que participaram do programa de treinamento. O Brasil é membro fundador da Interpol, sendo representado pela Polícia Federal, que também participa da Ameripol e Europol, fazendo do país um ator de destaque no cenário internacional para o combate aos crimes transnacionais e o INTERCOPS distingue-se como um importante elo para a realização deste objetivo.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada nas últimas horas pela Agência de Noticias da Policia Federal (PF).

ORGANIZACAO1
Patrocinado, click para entrar

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: