Desarticulam organização criminosa especializada no transporte internacional de drogas

  • Polícia Federal deflagra ação para desarticular organização criminosa usava aeronaves para o traslado
  • Narcotráfico para o Brasil, Estados Unidos e Europa
A Foto Agência Brasil -- ---
Foto Agência Brasil (EBC)

Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou o dia 21 de fevereiro a Operação Flak para desarticular uma organização criminosa especializada no transporte aéreo de drogas para o Brasil, Estados Unidos e Europa. No total, são cumpridos 54 mandados de prisão e 81 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas (TO).

A investigação começou há dois anos, no período de 2017 a 2018. Foram identificados 23 voos transportando em média 400 quilos de cocaína cada, no total de mais de nove toneladas.

Segundo os investigadores, aviões eram adulterados para ter mais tempo de vôo.

Estados

A operação é executada em Tocantins, Goiás, Paraná, Pará, Roraima, São Paulo, Ceará e no Distrito Federal. Mais de 400 policiais federais estão envolvidos.

Também participam a Força Aérea Brasileira (FAB) e o Grupamento de Rádio Patrulha Aérea da Polícia Militar de Goiás (GRAER/PMGO).

Há, ainda, o bloqueio de contas bancárias de aproximadamente 100 pessoas e empresas envolvidas, a apreensão de 47 aeronaves, o sequestro de 13 fazendas com mais de 10 mil cabeças de gado bovino e a inclusão de seis pessoas no Sistema de Difusão Vermelha da Interpol.

Crimes

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, por tráfico transnacional de drogas, associação para o tráfico, financiamento ao tráfico, organização criminosa, lavagem de dinheiro e atentado contra a segurança do transporte aéreo.

O nome da operação Flak faz alusão a uma expressão utilizada pelos países aliados durante a Segunda Guerra Mundial para se referirem à artilharia antiaérea alemã.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

international mini 0
Plantão Área Auxilio Jurídico OIPOL, ligue já…

Guerra cotidiana contra o narcotráfico em diversas regiões do Brasil

  • Polícia Federal prende traficante que costurava coletes sob medida impregnados com droga
  • Visando desarticular organização criminosa responsável por tráfico de drogas na cidade de Paraíso do Tocantins
  • A maior apreensão de drogas da história do Porto de Natal

A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -Guarulhos/SP – Palmas/TO – Natal/RN – Rio de Janeiro- A Polícia Federal, com o apoio do 35º Batalhão da Polícia Militar de São Paulo, prendeu na manhã do dia 12 de fevereiro na cidade de Itaquaquecetuba/SP, um traficante que aliciava pessoas para o tráfico internacional de drogas, por meio do Aeroporto Internacional de São Paulo.

Policiais federais, que investigavam informações coletadas a partir da prisão das chamadas “mulas do tráfico”, no Aeroporto Internacional de São Paulo, identificaram um suspeito de tráfico, nacional da Nigéria, na cidade de Itaquaquecetuba, região metropolitana de São Paulo.

Após a obtenção de mandado de busca e apreensão junto à 1ª Vara Federal de Guarulhos, os policiais foram ao local, na noite do dia 11 de fevereiro e encontraram dois pacotes com cocaína em pó e cinco coletes cujos forros estavam impregnados com cocaína.

Como o suspeito não se encontrava no local, os policiais solicitaram apoio da PM e realizaram a prisão no momento em que o suspeito retornou. Entre os documentos apreendidos com o homem, de 37 anos de idade, havia comprovantes de pagamento, em seu nome, a uma escola de corte e costura que ministra curso de vestuário e moda, assim como detalhes dos manequins de outras pessoas cujas roupas foram confeccionadas sob medida.

Operação Singer

A Foto Políacia Federal do Brasil - -Agentes federais deflagraram na terça-feira (12/2) a Operação Singer, visando desarticular organização criminosa responsável por tráfico de drogas na cidade de Paraíso do Tocantins. Aproximadamente 20 policiais federais cumpriram um mandado judicial de busca e apreensão e três mandados de prisão preventiva, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Paraíso.

A investigação teve início a partir de diligências rotineiras visando o combate ao tráfico de drogas na região. A Polícia Federal efetuou a prisão de duas pessoas – uma delas, inclusive em cumprimento de pena por tráfico de drogas em regime semiaberto – e apreendeu cinco porções de substância aparentando ser cocaína e uma aparentando ser maconha, além de uma balança de precisão, no quarto do casal investigado.

Os investigados devem responder, na medida de suas participações, pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Cabe assinalar que, o nome da operação faz referência ao fato de ser o alvo principal cantor.

 Apreensão recorde

A Foto Políacia Federal do Brasil - - --- - -Na terça-feira (12/2) também foi  realizada a maior apreensão de drogas da história do Porto de Natal. Cerca de 1.275 kg de cocaína foram encontrados em meio a frutas no interior de um container que seguiria para os Países Baixos (Holanda). Na ação, a PF contou com apoio logístico da Receita Federal. Ninguém foi preso.

O embarque da carga para a Europa, contendo 998 tabletes da droga, seria feito na manhã de hoje. A descoberta se deu em decorrência de uma análise de situações suspeitas no Porto de Natal, onde a fiscalização pela Polícia Federal vem sendo intensificada nos últimos meses.

As investigações terão prosseguimento visando identificar os donos da carga ilícita.

Dentre as ações da Polícia Federal, previstas para o ano de 2019, no Rio Grande do Norte, serão feitas reuniões da Cesportos, presididas pela instituição, para implementação de medidas de segurança no Porto de Natal.

Somando-se ao total de droga de 2018, a PF já apreendeu até hoje um total 2.948 kg de cocaína na Grande Natal.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal em Tocantins, Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte e Agência de Noticias da PF. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Centauro_modernizacion_sdle
Área Equipamentos OIPOL…

O maior narcotraficante mexicano é condenado em EUA

  • Entre as acusações, El Chapo Guzmán foi condenado por conspiração internacional para distribuição de cocaína, metanfetaminas e maconha; uso de armas e lavagem de dinheiro.
A Foto Agencia Brasil -----
O maior traficante mexicano El Chapo é preso após duas fugas de presídios – Arquivo/Mario Guzman/Agência Lusa/Direitos reservados

Um júri norte-americano condenou o narcotraficante mexicano Joaquín Archivaldo Guzmán Loera, conhecido como El Chapo, por todas as dez acusações contra ele. Ele foi julgado em Nova York, nos Estados Unidos, e pode ser condenado à prisão perpétua pelas acusações.

Entre as acusações, El Chapo foi condenado por conspiração internacional para distribuição de cocaína, metanfetaminas e maconha; uso de armas e lavagem de dinheiro. Os 12 jurados ouviram depoimentos de testemunhas e analisaram documentos.

O narcotraficante se recusou a prestar depoimento em defesa própria. O mexicano é apontado como um dos principais líderes do tráfico de drogas no mundo. El Chapo era o chefe do Cartel de Sinaloa, organização responsável pelo destino de parte da cocaína enviada para os Estados Unidos, e está preso no Manhattan Correctional Center, desde janeiro de 2017.

A idade de El Chapo é incerta porque ele tem documentos com datas distintas de nascimento: em um, teria 61 anos, em outro, 63.

Detido várias vezes desde 1993, foi capaz de fugas cinematográficas. A caçada a ele envolveu autoridades e agentes dos Estados Unidos e do México. Preso, ele foi extraditado para os Estados Unidos.

El Chapo nega ser o chefe do Cartel de Sinaloa.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC), com informações da Notimex. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

A Logo PT - 0
Auxílio Juriídico da OIPOL, veja…

Operação da Polícia Federal Brasileira contra o tráfico de drogas pelas Internet

  • Em 2018, começou o inquérito policial após a área de inteligência de a Polícia Federal identificar a atuação de um grupo que usava uma rede social para comercializar virtualmente drogas, como maconha, MDMA e LSD.
A Agência Brasil ----- -
Foto Agência Brasil

Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou o dia 12 de fevereiro a Operação Dealer para desarticular uma organização criminosa que negociava drogas por meio de uma rede social. Foram cumpridos 10 mandados de prisão temporária e 10 mandados de busca e apreensão em cidades de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Sergipe e Minas Gerais.

As investigações indicam que o grupo responsável pelo mural atuava de forma organizada, com membros agindo com funções distintas, sujeitas a um comando centralizado.

Em 2018, começou o inquérito policial após a área de inteligência de a Polícia Federal identificar a atuação de um grupo que usava uma rede social para comercializar virtualmente drogas, como maconha, MDMA e LSD.

Os investigados serão indiciados pela prática de crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas, com penas de 3 anos a 15 anos de prisão e multa.

Os mandados foram expedidos, a pedido da PF, pela 4ª Vara Criminal Federal de São Paulo nas cidades paulistas de Indaiatuba, Casa Branca, Osvaldo Cruz, Bauru e Birigui. Também houve diligências em Aracaju, Florianópolis, Curitiba e Divinópolis (MG).

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

a international1 (1)
Área de Inteligência da OIPOL, veja…

Prisão para suspeitos de tráfico no Rio de Janeiro

  • Os alvos da operação são suspeitos de crimes como extorsão, corrupção de menores, receptação, tentativa de homicídio e lavagem de dinheiro, além de tráfico de drogas
A Foto Agencia Brasil -----
Foto Agencia Brasil (EBC)

Rio de Janeiro – Policiais civis cumpriram no dia 4 de dicembro 36 mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento com a venda de drogas em Magé, na Baixada Fluminense. De acordo com a Polícia Civil, o grupo controla o comércio de entorpecentes na localidade da Pinguela, no bairro da Lagoa, em Magé.

Os alvos da operação são suspeitos de crimes como extorsão, corrupção de menores, receptação, tentativa de homicídio e lavagem de dinheiro, além de tráfico de drogas.

Os mandados de prisão e dois mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Magé, Petrópolis, Teresópolis, Niterói, Maricá e outras cidades, segundo a Polícia Civil.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, a quadrilha se divide em três núcleos, um operacional, um logístico (que fornecia condições materiais e apoio à organização criminoso) e um financeiro (que fornecia contas bancárias para a lavagem do dinheiro). A ação conta com o apoio do Ministério Público do Rio.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

A INTERNATIONAL1 (1)
Membresia OIPOL. Descontos especiais em carreiras, cursos, assessoria e todo o que a organização oferece… Veja!

Nova operação brasileira no combate internacional de drogas

  • Ação da Polícia Federal para desarticular grupo criminoso especializado em tráfico internacional de drogas
  • Nas ações desenvolvidas pela PF, destaca-se a Cooperação Internacional mantida entre a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai – SENAD, que culminou no encerramento de 41 empresas, apreensão de 42 mil cabeças de gado e o sequestro de 31 fazendas em solo paraguaio

A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -Curitiba/PR – A Polícia Federal deflagrou o dia 22 de novembro a Operação Sem Saída, no Mato Grosso e no Paraná, para desarticular organização criminosa ligada a mega traficante internacional, conhecido como Cabeça Branca, preso em 1/7/2018. A ação de hoje é um desdobramento da Operação Spectrum, que está em sua 4ª fase ostensiva.

Aproximadamente 100 policiais federais cumpriram 18 ordens judiciais, em Curitiba, em Brasnorte, em Tapurah, em Juara, Nova Maringá, no Paraná, e em Cuiabá, no Mato Grosso. Foram cumpridos 2 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão.

De acordo com as investigações, a organização criminosa, mesmo após a prisão do traficante, mantinha atuação em atividades criminosas. Nas ações desenvolvidas pela PF, destaca-se a Cooperação Internacional mantida entre a Polícia Federal e a Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai – SENAD, que culminou no encerramento de 41 empresas, apreensão de 42 mil cabeças de gado e o sequestro de 31 fazendas em solo paraguaio.

O objetivo desta fase é reunir alimentos probatórios  da prática dos crimes de lavagem de dinheiro contra o Sistema Financeiro Nacional, organização criminosa, associação  para o tráfico internacional de drogas, dentre outros delitos. Somente  nesta Operação o patrimônio arrecadado será de mais de R$ 100 milhões, considerando que somente em fazendas são mais de 11 mil hectares. Trata-se de uma das maiores operações da PF na desarticulação patrimonial de organização criminosa, com atuação no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Os presos serão conduzidos à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Será concedida entrevista coletiva, às 10h, no Auditório da Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal no Paraná. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

94a3006a-405d-48ec-8c03-66f23c7de4d1 (1)
Área Assessoramento Jurídico OIPOL, para todos os funcionários de Segurança Pública…

Interpol procura ao líder do Exército d Liberação Nacional

Autoridades colombinas solicita a Cuba prenda o narcoterrorista

A Foto A --BOGOTÁ – O governo da Colômbia pediu a Cuba que prenda o comandante narcoterrorista do Exército de Libertação Nacional (ELN), Nicolás Rodríguez, informou o Ministério das Relações Exteriores colombiano na terça-feira, um sinal de que as conversas de paz com o grupo insurgente não devem recomeçar tão cedo.

No dia 6 de novembro a Colômbia fez um pedido verbal para que o governo de Cuba forneça informações sobre a presença de vários comandantes do ELN em território cubano, disse a chancelaria em um comunicado.

Bogotá também pediu a Havana que cumpra um alerta vermelho da Interpol contra Rodríguez, o líder do grupo rebelde. Um alerta vermelho da Interpol é um “pedido para realocar e prender provisoriamente um indivíduo à espera de extradição”.

Rodríguez, também conhecido pelo codinome Gabino, está recebendo tratamento médico em Cuba há vários meses.

O governo cubano não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

A medida colombiana pode prejudicar os esforços para ressuscitar as conversas de paz entre o governo e o ELN. Em agosto o presidente da Colômbia, Iván Duque, disse que suspenderia as negociações sediadas em Cuba até os rebeldes libertarem todos os reféns.

È procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Reuters. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

A INTERNATIONAL1 (1)
Área Jurídica da OIPOL para associados e entidades.

Paraguai expulsa ao líder do Comando Vermelho

  • Pinheiro, conhecido como Marcelo Piloto, foi enviado ao Brasil em uma operação discreta que contou com a participação de militares, disse a jornalistas um funcionário aeroportuário.

A Foto AAssunção- O presidente do Paraguai, Mario Abdo, decidiu nesta segunda-feira expulsar do país o chefe da organização criminosa brasileira Comando Vermelho, Marcelo Pinheiro Veiga, depois que ele matou uma jovem a facadas para tentar evitar sua extradição.

“Decidi expulsá-lo do país. O Paraguai não tem que ser terra para a impunidade de ninguém. Eu assumo os riscos, não queria esperar mais o processo da justiça. Temos essa atribuição e utilizamos a figura da expulsão”, disse Abdo a repórteres.

Pinheiro, conhecido como Marcelo Piloto, foi enviado ao Brasil em uma operação discreta que contou com a participação de militares, disse a jornalistas um funcionário aeroportuário.

O procedimento de extradição para o Brasil, onde Pinheiro tem uma condenação pendente, estava chegando ao fim e o início de um novo processo penal por homicídio poderia tê-lo prolongado.

“Basta, quatro tentativas de fuga foram abortadas… a dinâmica da justiça mudou desde que pedimos o apoio, mas não quis arriscar que ficasse mais tempo aqui”, acrescentou Abdo.

O crime aconteceu no sábado no Agrupamento Especializado, uma unidade da polícia que abriga detentos de alto perfil onde o réu, que reconheceu recentemente à mídia local que se dedicava ao tráfico de armas e drogas, estava preso há um ano.

A vítima, uma paraguaia de 18 anos, foi ferida diversas vezes com uma pequena faca antes de perder a consciência com um forte golpe na cabeça, disseram autoridades locais.

O ministro do Interior paraguaio, Juan Ernesto Villamayor, disse que Pinheiro seria transferido de Assunção ao aeroporto da hidroelétrica de Itaipú, localizada na fronteira entre o Paraguai e o Brasil, antes de ser entregue a autoridades brasileiras.

O Comando Vermelho é uma das maiores organizações criminosas brasileiras e, segundo autoridades de segurança locais, está utilizando o Paraguai como base.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Reuters. Reportagem de Mariel Cristaldo e Daniela Desantis. Edição em idioma português para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

02df4b9b-fe0d-44e7-936b-88f9854248c6 (1)
Área Acadêmica em Espanhol, veja.

Investigação policial prende responsável por remessas de drogas para o exterior

A Foto Polícia Federal do Brasil - --- -
Foto Polícia Federal (PF)

Porto Velho/RO – A Polícia Federal prendeu na segunda-feira (29/10), em Porto Velho, um dos principais remetentes para o exterior de cocaína diluída em roupas e papéis.

As investigações tiveram início em setembro deste ano, em decorrência de uma prisão realizada pela Polícia Federal no Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira. Na oportunidade, a equipe policial abordou e prendeu uma cidadã boliviana no momento em que embarcava em um voo com destino à China. Em sua bagagem foram identificados quatro casacos, nos quais constatou-se, após a realização de exame pericial, a presença de cocaína diluída no algodão das peças.

Após esta apreensão, a Polícia Federal deu continuidade às investigações para identificar o responsável pela remessa dos entorpecentes, chegando à localização de um cidadão de origem Libanesa, mas com documento de identidade boliviano, residente em Porto Velho. Ele agenciava mulheres para realizar o transporte de drogas, via aérea, para diversos países.

Na terça-feira (23/10), uma equipe de policiais apreendeu mercadoria postada nos Correios, que tinha como destino final o Líbano. Em seu interior, foram identificadas substâncias entorpecentes, desta vez diluídas em folhas de papel. Além dessa, a PF também apreendeu, em São Paulo/SP, outros seis envelopes com as mesmas características, remetidos pelo mesmo indivíduo com destino, sobretudo, à Nova Zelândia e ao Líbano. Como forma de evitar sua identificação, o investigado apresentava aos Correios nomes falsos em cada uma das postagens.

A 3ª Vara da Justiça Federal de Porto Velho/RO expediu dois mandados de prisão preventiva em desfavor do investigado e de uma mulher também estrangeira, que o auxiliava no preparo e remessa das drogas. Foi expedido, ainda, um mandado de busca e apreensão no endereço onde se encontravam residindo, utilizado como ponto de apoio para a recepção das mulheres contratadas para o transporte aéreo ou a embalagem das drogas para serem remetidas via SEDEX.

Durante as buscas em seu apartamento, o investigado foi preso em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas e insumos químicos em razão da apreensão de quase 2 kg de cocaína, diversas folhas de papel nas quais as drogas eram impregnadas, além de grande número de petrechos e produtos químicos utilizados na preparação do material.

Após os procedimentos, o preso foi encaminhado para o Presídio de Médio Porte Pandinha, onde permanece à disposição da Justiça Federal.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.-

MTP-2P77
Acessorios OIPOL, veja aquí.

Crime organizado esbarra com operação policial no Rio de Janeiro

  • Polícia Rodoviária Federal apreende 34 pistolas e 2.300 munições em estrada fluminense

A Foto PRFRio de Janeiro – Policiais rodoviários federais e policiais civis do Rio de Janeiro apreenderam dia 29 34 pistolas de uso restrito (9mm e .40) na Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na altura de Seropédica, região metropolitana do Rio. Durante a ação, também foram recolhidas 2.313 munições, 7,3 quilos de cocaína e 1 kg de crack.

O material estava dentro de um carro, conduzido por um homem de 31 anos. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a abordagem foi feita durante uma ação para reprimir o tráfico de armas e munições na rodovia. Os policiais ficaram desconfiados quando o homem ficou nervoso.

De acordo com a PRF, o motorista confessou que receberia R$ 5 mil por fazer o transporte do armamento, trazido da cidade de Maringá (PR) e que tinha como destino a cidade do Rio de Janeiro.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Damon
Equipamentos OIPOL

 

Operação policial na fronteira de Brasil com Argentina

  • Polícia Federal com apoio da Polícia Civil e Bragada Militar deflagram nova fase da Operação Velho Oeste II contra tráfico de drogas
  • A ação resultou na apreensão de dois revólveres, um deles com a numeração raspada, uma pistola calibre 380, além de porções de crack, cocaína e telefones celulares
A Foto Polícia Federal do Brasil - --- -
Foto Polícia Federal do Brasil

São Borja/RS – A Polícia Federal deflagrou no dia 23 de outubro nova etapa da Operação Velho Oeste II, de combate ao tráfico de armas e drogas na fronteira Brasil-Argentina.

Foram cumpridos nove mandados de busca, com apoio da Polícia Civil e da Brigada Militar. A ação resultou na apreensão de dois revólveres, um deles com a numeração raspada, uma pistola calibre 380, além de porções de crack, cocaína e telefones celulares. Um dos pontos de tráfico de drogas, alvo de mandado de busca, estava localizado próximo a uma instituição de ensino.

Dois homens foram presos em flagrante e serão encaminhadas ao presídio Estadual de São Borja.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Comunicação Social da Polícia Federal em São Borja (RS). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

thyra 2
Área Equipamentos da OIPOL, veja..

Diversas operações no combate ao crime organizado no Brasil

  • Federais em ação contra facção criminosa que traficava drogas no Rio Grande do Norte
  • Deflagração em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, a Operação Síderos, com o objetivo de combater o tráfico de drogas

SONY DSCNatal/RN – Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (16/10) a Operação Narco Trucks, objetivando desbaratar um grupo criminoso dedicado ao tráfico de entorpecentes e à lavagem de capitais no Rio Grande do Norte.

Cerca de 90 policiais federais cumpriram, com apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da PM/RN, nas cidades de Natal, São José de Mipibu, Tibau do Sul, Parnamirim, Macaíba, Brejinho e Baía Formosa, 20 mandados judiciais de busca e apreensão e 13 mandados de prisão preventiva, além de medidas de sequestro de bens e bloqueios de contas dos suspeitos.

As investigações tiveram início em 2017, quando a Polícia Federal apreendeu na zona rural de Macaíba/RN, Região Metropolitana de Natal, aproximadamente 30 kg de cocaína, além de rascunhos e documentos da contabilidade de traficantes detidos naquela ocasião.

Elementos de provas existentes nos autos apontam que o principal alvo preso na operação de hoje seria, ainda, líder de um grupo criminoso com atuação no Paço da Pátria e apontado como fornecedor de drogas de uma facção criminosa do RN.

Durante o cumprimento dos mandados, a PF também prendeu um investigado acusado de tráfico que fornecia drogas para Natal e outros municípios como São José do Mipibu, Brejinho e Tibau do Sul, além de ser um dos principais abastecedores de cocaína da praia de Pipa, no Litoral Sul Potiguar.

Os presos estão sendo indiciados e vão responder pelos crimes de tráfico de entorpecentes, lavagem de capitais e organização criminosa, cujas penas máximas, somadas, podem alcançar até 33 anos de reclusão.

O nome da operação remete ao fato de que 90% do tráfico realizado por esta quadrilha era feito através de caminhões (Truck, em inglês).

Tráfico de drogas em Volta Redonda

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (16/10), em Volta Redonda/RJ, a Operação Síderos, com o objetivo de combater o tráfico de drogas. Foram cumpridos 59 mandados de busca e apreensão e 57 mandados de prisão preventiva expedidos pela 2ªVara Criminal em Volta Redonda/RJ. O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro participa das ações.

As investigações foram iniciadas a partir de elementos coletados na fase final da denominada Operação Camará, deflagrada pela PF no segundo semestre de 2017, também no combate a crimes ligados ao tráfico de entorpecentes. Os dados indicaram a existência de ramificações da quadrilha investigada no município de Resende/RJ e na capital fluminense.

Apurou-se que os investigados remetiam valores da chamada caixinha para o munícipio de Resende, onde é baseada a liderança sul fluminense de um grupo criminoso que operava vinculado à importante facção criminosa de tráfico de drogas e de armas no Estado do Rio de Janeiro. No decorrer das investigações, a PF verificou que o alcance territorial da atuação do grupo incluía diversos bairros do referido munícipio estendendo-se para as localidades de Divisa, Belmonte, Jardim Belmonte, Retiro, Água Limpa e Siderlândia.

A identificação do fluxo dos carregamentos de drogas demonstrou que esses eram enviados, juntamente com armamentos, a partir do sul do estado para a capital fluminense. As provas obtidas pela PF foram robustecidas com diversas apreensões de drogas, armas e munições efetuadas por forças estaduais no decorrer dos últimos meses. Verificou-se também que, entre as práticas do grupo, estava o uso de menores para atuar no tráfico de drogas.

Os presos responderão, na medida de suas participações, sobretudo pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, dentre outros.

Vale lembrar que no decorrer da investigação foram elucidados dois homicídios praticados em Resende e em Volta Redonda por membros da organização criminosa.

O nome da operação, SÍDEROS, é uma referência à principal área de atuação de traficantes de drogas – Siderlância, localidade do munícipio de Resende/RJ

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte e Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Cpu-736WcAAcggt
Equipamento OIPOL, veja.

 

Policia Federal opera contra associação criminosa dedicada ao tráfico de drogas

A Foto Polícia Federal do Brasil - --- -
Foto Polícia Federal do Brasil

Porto Velho/RO – A Polícia Federal deflagrou na quarta-feira (10/10) a Operação Sativa, visando desmantelar associação criminosa dedicada ao tráfico interestadual de drogas.

A Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho/RO expediu 19 mandados de prisão, 16 mandados de busca e apreensão, sendo 4 deles cumpridos em unidades prisionais desta capital de Porto Velho/RO, com o apoio da Gerência de Informação e Inteligência da SEJUS e do Grupo de Ações Penitenciárias Especiais (GAPE). As ordens judiciais estão sendo cumpridas nas cidades de Porto Velho/RO, Vilhena/RO, Ji-Paraná/RO, Campo Grande/MS, Pontal do Paraná/PR, Campina Grande do Sul/PR e Colombo/PR. A Justiça determinou também o bloqueio de 20 contas bancárias dos investigados utilizadas para a movimentação dos valores relacionados com a venda dos entorpecentes.

As investigações tiveram início em junho desta ano, com a prisão em flagrante delito de um casal em Porto Velho/RO na posse de aproximadamente 60 kg de maconha. A partir da análise dos telefones celulares apreendidos com os presos, foi possível delinear toda a forma de atuação do grupo criminoso. As drogas eram fornecidas por um indivíduo residente na cidade de Campo Grande/MS e transportadas até esta capital por intermédio de motoristas residentes no estado do Paraná, ocultas no interior de cargas lícitas em caminhões. Todo o esquema de compra e venda de drogas era gerenciado por um dos investigados, que se encontra preso em unidade prisional de Porto Velho/RO, controlando a ação de diversos outros comparsas, sobretudo familiares.

Durante as investigações, foram realizadas quatro apreensões de substâncias entorpecentes, totalizando aproximadamente 1,7 tonelada de maconha, além de insumos utilizados no preparo e refino das drogas.

Além da prisão do casal nesta capital de Porto Velho/RO em junho, foram apreendidos cerca de 700 kg de maconha no mês de julho, na cidade de Vilhena/RO, e 940 kg, na cidade de Campo Grande/MS, no mês de agosto. Em setembro de 2018, em cumprimento a mandado de prisão preventiva e busca e apreensão, autuou-se novamente em flagrante delito a investigada que havia sido presa no início das investigações e colocada em liberdade durante audiência de custódia, sendo encontrado em sua posse insumos químicos utilizados para o refino de cocaína, uma quantidade de maconha pronta para a comercialização, além de petrechos para a venda dos entorpecentes.

Os presos foram encaminhados para unidades prisionais e permanecerão à disposição da Justiça Estadual.

É procedente assinalar que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal do Brasil, Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia/RO. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

37735018_2151176865150094_521856522376970240_n
OIPOL Elite Training, Miami 2019. Cadastro aqui.

Federais brasileiros impedem resgate de narcotraficante preso em Paraguai

  • O processamento de dados de inteligência, obtidos através dos instrumentos de cooperação internacional entre os dois países, viabilizou a identificação e a localização do grupo
  • Outra operação da Polícia Federal do Brasil reforçando a importância da atuação integrada das polícias da América do Sul no combate à criminalidade transnacional
A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -
Material aprendido.

Brasília/DF – A Polícia Federal prendeu no dia 4 outubro, em atuação conjunta com a Secretaria Nacional Antidrogas – SENAD do Paraguai, cinco traficantes brasileiros –  quatro homens e uma mulher –, na capital paraguaia. De acordo com as investigações, eles pretendiam resgatar um líder de facção criminosa brasileiro, com larga atuação no fornecimento de drogas para o Brasil. Atualmente, este se encontra preso no país vizinho.

O processamento de dados de inteligência, obtidos através dos instrumentos de cooperação internacional entre os dois países, viabilizou a identificação e a localização do grupo. Os nacionais encontravam-se  em três casas na capital paraguaia, de onde, de acordo com o que foi apurado,  pretendiam partir para o resgate do criminoso, durante o próximo final de semana. Nos imóveis alugados pela quadrilha foi aprendida grande quantidade de armas e munições.

A ação da Polícia Federal do Brasil reforça a importância da atuação integrada das polícias da América do Sul no combate à criminalidade transnacional.  A PF tem adotado medidas para o incremento dessa integração, inclusive com o acionamento, em junho deste ano, do Centro de Cooperação Policial Internacional, instalado na Superintendência da PF, no Rio de Janeiro. Ele conta com  a participação das polícias da Colômbia, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

imagen Google 2
Equipamento OIPOL para Forças de Segurança e Militares.

Operação com o objetivo de desarticular quadrilha do narcotráfico internacional

No decorrer da investigação, cerca de 4 toneladas de cocaína foram apreendidas em portos do Brasil (Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Santos/SP, Salvador/BA e Suape/PE); sendo possível a identificação também do destino da droga e a desarticulação do braço da quadrilha no exterior

A Foto Políacia Federal do Brasil - --- -Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagra o 9 de julho a Operação Antigoon*, que visa desarticular uma quadrilha especializada em tráfico transnacional de drogas que utilizava do modal marítimo para cometer o crime.  Aproximadamente 100 policiais federais cumpriram 21 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão preventiva nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

As investigações da PF, que duraram aproximadamente um ano e contaram com o apoio da Receita Federal, apontam que a quadrilha agia enviando drogas para a Europa através de contêineres que eram transportados em navios de carga.

No decorrer da investigação, cerca de 4 toneladas de cocaína foram apreendidas em portos do Brasil (Rio de Janeiro/RJ, Vitória/ES, Santos/SP, Salvador/BA e Suape/PE); sendo possível a identificação também do destino da droga e a desarticulação do braço da quadrilha no exterior.

Também foram realizadas apreensões nos portos de Antuérpia, na Bélgica; Gioia Tauro, na Itália e Valência, na Espanha, utilizando-se dos institutos de cooperação policial internacional para a difusão do conhecimento aos demais países. Tal cooperação deu-se através das Adidâncias Policiais da PF no exterior, bem como através dos representantes das polícias estrangeiras que atuam no Brasil.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, por tráfico transnacional de drogas e associação para o tráfico, cujas penas podem chegar a 25 anos de reclusão.

*Antigoon é uma referência a uma lenda sobre a origem do nome da cidade de Antuérpia, principal destino da droga na Europa. Segundo a lenda, um gigante chamado Antigoon cobrava valores de quem atravessasse o rio Escalda e cortava uma das mãos daqueles que se recusassem a pagar. Antigoon foi morto por um jovem chamado Brabo, que cortou a mão do próprio gigante e atirou-a ao rio. Daí o nome Antwerpen; do holandês hand (mão) e wearpan (arremessar).

É preciso dizer que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

93616dea-1378-44d7-a460-19e0292085e2
Carreiras na OIPOL. Área em espanhol

Investigação dos federais do Brasil consegue aprender cerca de quatro toneladas de cocaína

Polícia Federal realiza operação contra tráfico internacional de drogas

A Foto Policia Federal do Brasil -Rio de Janeiro – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira operação para combater uma quadrilha que enviava drogas para a Europa através de navios de carga, em investigação que apreendeu cerca de 4 toneladas de cocaína em portos brasileiros e europeus, informou a PF em comunicado.

Como parte da chamada operação Antigoon, aproximadamente 100 policiais cumprem 21 mandados de busca e apreensão e 15 de prisão preventiva nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

Ao longo de quase um ano de investigação foram apreendidas cerca de 4 toneladas de cocaína nos portos do Rio de Janeiro, Vitória, Santos, Salvador e Suape, segundo a PF.

“Também foram realizadas apreensões nos portos de Antuérpia, na Bélgica; Gioia Tauro, na Itália e Valência, na Espanha, utilizando-se dos institutos de cooperação policial internacional para a difusão do conhecimento aos demais países”, acrescentou a PF em comunicado.

Os investigados, suspeitos de enviar a droga para a Europa através de contêineres transportados em navios de carga, responderão por tráfico transnacional de drogas e associação para o tráfico.

O nome da operação, Antigoon, faz referência a uma lenda sobre a origem do nome da cidade de Antuérpia, na Bélgica, principal destino da droga na Europa.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Reuters. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

21143587_1845144122177382_2035606119375699968_n
Carreiras em OIPOL / SCUS

Nova abordagem desvenda carregamento de droga em Rio de Janeiro

POLICIA RODOVIARIA FEDERAL APREENDE 250 QUILOS DE MACONHA NA RODOVIA WASHINGTON LUIZ

Rio de Janeiro/RJ – Um carregamento com 250 quilos de maconha foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), em uma abordagem na Rodovia Washington Luiz (BR-040), em Petrópolis, na região Serrana do Rio. A droga seria entregue na Baixada Fluminense. O motorista de um carro foi preso, suspeito de tráfico de entorpecentes. O flagrante aconteceu no final da noite de domingo (8).

Equipes da PRF faziam uma blitz na altura do km 89, quando suspeitaram do motorista de um veículo e decidiram abordá-lo. Ao abrirem o carro, viram que havia diversos tabletes espalhados pelo banco traseiro. No total, foram encontrados cerca de 250 quilos de maconha. O motorista, de 44 anos, disse ter pego o automóvel em Minas Gerais. Ele afirmou ainda que faria a entrega no estacionamento de uma lanchonete em Nova Iguaçu.

A ocorrência foi encaminhada para a 105ª DP (Petrópolis). O suspeito foi indiciado por tráfico de entorpecentes, com pena de 5 a 15 anos de reclusão.

É preciso assinalar que a informação foi remitida pela Assessoria de Comunicação de Rio de Janeiro da Polícia Rodoviária Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

krav maga boot camp foto
Treinamentos / entrenamientos OIPOL

Operação contra o crime organizado em estrada de Rio de Janeiro

POLICAI RODOVIÁRIA FEDERAL RECUPERA CARGA ROUBADA, APREENDE DROGAS E PRENDE DOIS SUSPEITOS EM ANGRA DOS REIS

PRF RECUPERA CARGA ROUBADA, APREENDE DROGAS E PRENDE DOIS SUSPEITOS EM ANGRA DOS REIS - 04_07_2018 - 00001Rio de Janeiro – Dois homens foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) com uma grande quantidade de entorpecentes e diversos maços de cigarro roubados. A dupla é suspeita de participação num roubo de carga poucas horas antes. O caso aconteceu em Angra dos Reis, na Costa Verde, no início da tarde de quarta-feira (4).

Equipes da PRF faziam patrulhamento na rodovia Rio-Santos (BR-101), quando foram alertadas sobre o roubo de um caminhão de cigarros na região. Na entrada de um condomínio, os policiais viram dois carros suspeitos de terem participado do assalto estacionados. Ao se aproximarem do local, uma mulher se assustou e tentou correr. Dois homens que estavam com ela confessaram participação no roubo.

Dentro dos carros, foram encontrados quatro quilos de cocaína, um quilo de maconha, farto material para embalar os entorpecentes, diversos maços de cigarro roubados e aproximadamente R$ 10 mil. Os dois veículos possuíam registro de roubo. Além disso, no local também havia um motocicleta com a numeração do motor raspada.

A ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil.

É procedente dizer que a informação foi remitida pela Assessoria de Comunicação (RJ) da Polícia Rodoviária Federal (PFR). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

d5e47b34-e2bf-4294-8501-f03cccba1145
Carreira na OIPOL

Polícia Civil deflagra operações múltiplas contra o crime organizado no Rio

  • Grande quantidade de droga é apreendida por agentes da Delegacia de Arraial do Cabo
  • Delegacia da Tijuca capturam homem condenado por tráfico de drogas
  • Deam do Centro capturam homem acusado de tráfico de drogas
A FOTO POLICIA CIVIL RIO DE JANEIRO - - -
FOTO POLICIA CIVIL RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro – Policiais da 132ª DP (Arraial do Cabo) apreenderam, na quarta-feira (27/06) e na quinta-feira (28/06), grande quantidade de drogas no bairro Vila Verde, em Armação de Búzios, na Região dos Lagos.

Informações recebidas pela Polícia falavam a respeito de traficantes de uma facção criminosa que estariam planejando uma tomada de território de traficantes rivais do Morro da Coca-Cola.

Na quarta-feira, os policiais diligenciaram ao bairro Maria Joaquina, área divisa dos municípios de Cabo Frio e Armação dos Búzios, onde em diligências confirmaram a veracidade das informações. No bairro Vila Verde estaria escondido o traficante conhecido como “Tio”.

De acordo com os agentes, “Tio” seria o gerente do tráfico da localidade e conseguiu fugir diante da chegada da Polícia, momento em que dispensou sua mochila. Nela, foram encontradas 380 “buchas” de maconha; 515 “pinos” de cocaína; uma embalagem contendo aproximadamente 1kg de cocaína e 100 munições calibre 9 mm.

E na quinta-feira (28/06), os policias retornaram ao local, onde vasculharam as imediações. Encontraram um tonel enterrado em meio à vegetação contendo drogas e rádios comunicadores. Dentro do tonel foram encontrados dois tabletes de maconha, totalizando 2 quilos da droga; aproximadamente 500g de pasta base de cocaína; seis rádios comunicadores e farto material para endolacão.

Capturam condenado por narcotráfico

A FOTO POLICIA CIVIL RIO DE JANEIROPor outro lado, Policiais da 19ª DP (Tijuca), em conjunto com Policiais Militares da UPP Borel, capturaram nesta quinta-feira (28/06), Luiz Antônio Sobra de Souza, conhecido como “Cria”, de 34 anos, condenado por tráfico de drogas.

Luiz foi localizado após troca de informações com policiais da UPP do morro do Borel na localidade conhecida como Aviário, no interior da comunidade da Casabranca, na Tijuca, Zona Norte.

De acordo com os agentes, Luiz Antônio será encaminhado ao Sistema Prisional Estadual, onde permanecerá acautelado à disposição da Justiça.

Capturam outro condenado por narcotráfico

A FOTO POLICIA CIVIL RIO DE JANEIRO -Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) do Centro prenderam, nesta quinta-feira (28/06), Alison Breno da Silva Nascimento, de 25 anos, acusado de tráfico de drogas.

De acordo com a Polícia, contra Alison havia mandado de prisão, expedido em 2016. Ele e uma mulher haviam sido presos com uma mala de cocaína, cuja droga havia sido conseguida em Senador Camará, Zona Oeste do Rio.

Os agentes da Deam ressaltaram, ainda, que Alison havia sido solto para responder em liberdade, mas sua condenação resultou em nova captura. Ele será entregue à Justiça para ser encaminhado ao sistema prisional.

Acusado de tráfico é preso por agentes da Delegacia de Guarus com drogas e material de endolação

Policiais da 146ª DP (Guarus) prenderam, na quinta-feira (28/06), Maicon Oliveira da Silva, acusado de tráfico de drogas.

De acordo com os agentes, Maicon foi detido logo após ter recebido um carregamento de drogas na residência dele, à Rua 3, Parque Presidente Vargas, em Guarus, no Norte Fluminense. Com ele a Polícia apreendeu um telefone celular e farta quantidade de droga e material de endolação.
A FOTO POLICIA CIVIL RIO DE JANEIRO - -
No total foram arrecadados: Três tabletes de crack; 1003 sacolés de crack; 180 pinos de cocaína; duas sacolas de cocaína; duas balanças de precisão e diversos pinos e adesivos alusivos a uma facção criminosa. Conforme perícia: 1.825 kg de crack e 710 gramas de cocaína.

Ainda segundo a Polícia, trata-se de uma refinaria que fornecia droga para as bocas de Presidente Vargas; Cantinho e Zuza Mota, conforme descrição nos adesivos, que inclusive tinham bandeira do Brasil, alusivo ao período de Copa do Mundo, que possivelmente abasteceriam pontos de vendas de drogas da citada facção.

É procedente dizer que a informação foi distribuída pela ASCOM – Assessoria de Comunicação. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

LOGO2 ING-1 -
Carreiras na OIPOL

Operação contra o narcotráfico na Região Nordeste do Brasil

Polícia Federal deflagra combater tráfico na Paraíba

cropped-a-foto-polc3adacia-federal-do-brasil3.jpgRio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal (PF) deflagrou no dia 26 de junho a operação Dragões de Fogo, com o objetivo de combater o tráfico de drogas na Paraíba, mais especificamente em João Pessoa, Campina Grande e no sertão.

A investigação foi iniciada no começo de 2017, quando a delegacia da PF em Campina Grande acompanhou a atuação de duas organizações criminais que faziam tráfico interestadual de drogas.

Diversos carregamentos de drogas foram interceptados na Paraíba e no Rio Grande do Norte, o que resultou na prisão em flagrante de 14 pessoas e na apreensão de cerca de 360 quilos de maconha e 32 quilos de cocaína, além de duas armas de fogo.

Segundo a PF, estão sendo cumpridos 20 mandados de prisão preventiva e 20 mandados de busca e apreensão. Cerca de 150 policiais estão cumprindo mandados nas cidades de Campina Grande, Patos, São Bento, Paulista e Teixeira, além da capital João Pessoa.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

Foto OIPOL
Carreiras na OIPOL

Centenas de federais brasileiros deflagram operação contra o crime organizado

  • Polícia Federal combate tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro em cinco estados
A Foto Polícia Federal do Brasil - --- -
Foto Polícia Federal do Brasil

Campo Grande/MS – Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (25/6) a Operação Laços de Família, com a finalidade de combater os crimes de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro, cometidos por uma forte e pujante organização criminosa (ORCRIM), que tinha seu foco principal de atuação a partir da fronteira sul do Estado de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Aproximadamente 211 policiais federais participaram da ação que ocorreu simultaneamente nos estados do Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Goiás e Rio Grande do Norte.

A Justiça Federal da 3ª Vara de Campo Grande, em atendimento à representação da Polícia Federal, expediu contra a organização criminosa 20 mandados de prisão preventiva, 2 mandados de prisão temporária, 35 mandados de busca e apreensão em residências e empresas, 136 mandados de sequestros de veículos terrestres, 7 mandados de sequestro de aeronaves (helicópteros), 5 mandados de sequestro de embarcações de luxo, 25 mandados de sequestro de imóveis. Além disso, também foi decretado o sequestro geral de todos os bens de 38 investigados, em todo o território nacional, inclusive em nome de suas empresas de fachada.

A ORCRIM tinha traços de um clã, de forma assemelhada à máfia, eis que seus principais cabeças eram de um mesmo grupo familiar e tinha estreita ligação com a facção criminosa paulista PCC.

Grandes carregamentos de droga eram remetidos da região fronteiriça para várias regiões do Brasil, geralmente escondidos em caminhões e carretas com cargas aparentemente lícitas, tudo a serviço da criminalidade. Em contrapartida, a ORCRIM recebia joias, veículos de luxo e dinheiro por meio de depósitos em contas bancárias de laranjas e de empresas de fachada, como pagamento das cargas criminosas, que garantiam vida luxuosa e nababesca aos patrões do tráfico internacional de drogas, que incutiam o temor e o silêncio na região pela sua violência e poderio. Também eram utilizados helicópteros para transportar joias e dinheiro usados como pagamento do bando, vindos de vários pontos do Brasil.

Durante a investigação, a PF já tinha conseguido apreender mais de R$ 317 mil em dinheiro; joias avaliadas em mais R$ 81 mil, duas pistolas, 27 toneladas de maconha, duas caminhonetes e 11 veículos de transporte de carga, além de prender em flagrante delito seis membros da ORCRIM investigada.

As penas somadas dos crimes cometidos atingem aproximadamente 35 anos de prisão.

Cabe assinalar que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

12039211_1010729348947797_4881491765367801011_n
Carreiras na OIPOL

Erradicação de plantios de maconha no Brasil

  • Policiais federais conseguiram erradicar e destruir cerca de 265 mil pés de maconha, 126 plantios, 131 mil mudas da planta e apreender 198 kg de maconha pronta para o consumo
A Foto Polícia Federal do Brasil - --- -
Foto Polícia Federal do Brasil

Recife/PE – A Polícia Federal, com apoio operacional da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, vem promovendo ações de identificação e consequente erradicação de plantios de maconha no sertão pernambucano. Tais medidas fazem parte das estratégias adotadas pela PF com o objetivo de reduzir a produção e oferta de maconha no sertão Pernambucano. A Operação Macambira II contou com um efetivo de mais de 94 policiais federais e militares (Corpo de Bombeiros/PE). Os policias trabalharam com incursões terrestres, aéreas e fluviais, com o apoio de uma aeronave do GTA-Grupo Tático Aéreo-da Secretaria de Defesa Social/PE, duas aeronaves da CAOP-Coordenação de Aviação Operacional da Polícia Federal, além botes infláveis e ambulância do Corpo de Bombeiros. A ação ocorreu entre os dias 4 e 13 de junho de 2018.

Os policiais conseguiram erradicar e destruir cerca de 265 mil pés de maconha, 126 plantios, 131 mil mudas da planta e apreender 198 kg de maconha pronta para o consumo. Os plantios foram localizados pela Polícia Federal em algumas ilhas dos Rio São Francisco e na Região de Orocó/PE, Cabrobó/PE, Belém do São Francisco/PE e Santa Maria da Boa Vista/PE, bem como em áreas de caatinga em Salgueiro/PE, Carnaubeira da Penha/PE, Serra Talhada/PE, Betânia/PE e Floresta/PE.

É precedente assinalar que a informação foi facilitada pela Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

LOGO2 ING-1 -
Associação OIPOL

Investigam ramificação interestadual do Primeiro Comando da Capital

  • Polícia e Ministério Público deflagram operação contra facção narcotraficante e terrorista em 14 estados

Rio de Janeiro – A Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo deflagraram Operação Echelon, no início da manhã do dia 14 de junho, contra as ramificações interestaduais da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). São cumpridos 59 mandados de busca e apreensão em 14 Estados, além de 75 prisões preventivas de integrantes da facção.

Segundo as investigações, a cúpula do grupo mantém contato com bandidos em outros estados, atuando no tráfico de armas e drogas. Em São Paulo, a facção tem 10,9 mil integrantes, mas, no restante do país, o número de participantes cresceu seis vezes nos últimos quatro anos. Houve aumento de 3 mil membros para pouco mais de 20 mil em 2018.

Depois de São Paulo, os estados que concentram o maior número de integrantes do PCC são Paraná (2.829), Ceará (2.582) e Minas Gerais (1.432). Este último, sofreu uma série de atentados contra ônibus e ataques contra postos policiais na semana passada. A facção conta ainda com membros em outros cinco países: Bolívia, Colômbia, Guiana, Paraguai e Peru.

De acordo com as investigações, a expansão do PCC culminou na reação de gangues locais, que se aliaram ao Comando Vermelho, iniciando uma guerra que atinge principalmente os estados do Norte e do Nordeste do país.

As investigações tiveram início em junho de 2017, quando o líder máximo da facção, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi mantido isolado pela sexta vez no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) do presídio de Presidente Bernardes, motivo pelo qual Marcola não figura entre os procurados na operação.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

cropped-organizacao1.jpg
Patrocinado. Careiras em OIPOL

Dezenas de policiais desarticulam grupos criminosos de narcotraficantes internacionais

  • Operação Duelo combate tráfico internacional de entorpecentes no Estado de  Paraná
A Foto PF- -
Foto PF

Foz do Iguaçu/PR – A Polícia Federal deflagrou na manhã dia 14 de junho a Operação Duelo, com o objetivo de desarticular três grupos criminosos que atuam no tráfico internacional de entorpecentes no Paraná.

Cerca de 90 policiais federais cumpriram 12 mandados de busca e apreensão e 12 mandados de prisão preventiva, nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

No decorrer da investigação, iniciada em 2016, verificou-se a existência de três núcleos criminosos que, seja de maneira paralela, seja com interdependência, atuam no tráfico de drogas. Eles estão vinculados a apreensões de entorpecentes realizadas em diversas regiões do país. Alguns dos envolvidos nos delitos encontram-se, inclusive, cumprindo pena pela prática de outros crimes, em prisão domiciliar ou recolhidos ao sistema prisional.

Nas investigações, foram apurados indícios que demonstraram o modus operandi das três associações criminosas e o elo estável mantido entre seus integrantes para prática do crime de tráfico transnacional de entorpecentes. A droga, proveniente do Paraguai, era distribuída em diversos estados do país, por via terrestre ou aérea, em voos comerciais. Foi possível identificar a atuação destes grupos criminosos em fatos relacionados a apreensões de maconha e/ou de haxixe ocorridas em Foz do Iguaçu/PR, Céu Azul/PR, Gravataí/RS e no aeroporto de Guarulhos/SP.

A ação tem, dentre outros, o objetivo de reunir informações complementares sobre a prática dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, bem como acerca de eventual delito de lavagem de capitais, decorrente da movimentação dos valores auferidos com o tráfico.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

LOGO2 ING-1 -
Carreiras na OIPOL

Polícia Civil deflagra operação contra o narcotráfico na capital fluminense

  • A ação é comandada pela Delegacia de Belford Roxo (54ª DP) e tem o apoio de agentes da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente e Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial

A Foto Polícia Civil do Rio de Janeiro ----Rio de Janeiro/RJ, Brasil – Policiais civis cumprem hoje (6) mandados de prisão e de busca e apreensão contra suspeitos de tráfico de drogas na Baixada Fluminense, no Estado do Rio de Janeiro.

Segundo a Polícia Civil, também foram cumpridos mandados de apreensão de adolescentes suspeitos de participação na quadrilha. Ela também se envolve em crimes como homicídio, roubo de cargas e de veículos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, até as 9h30, os agentes tinham recuperado 14 veículos roubados. Ainda não há informações sobre prisões até o momento, nem sobre o número de mandados que estão sendo cumpridos.

A ação é comandada pela Delegacia de Belford Roxo (54ª DP) e tem o apoio de agentes da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas, Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente e Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Agência Brasil (EBC). Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

LOGO2 ING-1 -
Carreiras na OIPOL

Chefe do narcotráfico é aprendido no Rio de Janeiro

  • O miliciano, Hélio Albino Filho, estaria diretamente envolvido nos constantes confrontos que vinham ocorrendo na região e também foi autuado em flagrante pelo crime de uso de documento falso e porte de arma de uso restrito
  • Na operação, foram apreendidas duas pistolas, uma de calibre .40, e outra de calibre. 45, essa última com kit rajada; além de R$ 23.900,00 em dinheiro, um carro e munição. A ocorrência está sendo lavrada na sede da Polícia Federal na Praça Mauá

Rio de Janeiro/RJ, Brasil – crônica – A Polícia Federal, em uma ação da Operação União Rio, juntamente com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, prendeu, na manhã  do dia  20 de maio, um dos chefes da milícia que atua na região de Jacarepaguá.

O preso é suspeito de ter se aliado a uma facção criminosa para que traficantes de drogas pudessem agir na comunidade conhecida como Bateau Mouche, situada na Praça Seca, onde, desde a última quinta-feira ocorre uma grande operação das Forças de Intervenção.

O miliciano estaria diretamente envolvido nos constantes confrontos que vinham ocorrendo na região e também foi autuado em flagrante pelo crime de uso de documento falso e porte de arma de uso restrito.

Na operação, foram apreendidas duas pistolas, uma de calibre .40, e outra de calibre. 45, essa última com kit rajada; além de R$ 23.900,00 em dinheiro, um carro e munição. A ocorrência está sendo lavrada na sede da Polícia Federal na Praça Mauá.

As ações que resultaram na prisão fazem parte da Operação União Rio, que tem como objetivo a integração das forças de segurança. A  ação de hoje é decorrente da troca de informações de inteligência entre as forças participantes. Também contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

Nota à imprensa do Setor de Comunicação Social da Polícia no Rio de Janeiro

Polícia Federal Prende Miliciano que atuava junto com o tráfico  na Praça Seca , em Jacarepaguá

A Polícia Federal, em uma ação da Operação União Rio, juntamente com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, prendeu, na manhã de dia (20 de maio um dos chefes da milícia que atua na região de Jacarepaguá.

O preso é suspeito de ter se aliado a uma facção criminosa para que traficantes de drogas pudessem agir na comunidade conhecida como Bateau Mouche, situada na Praça Seca, onde, desde a última quinta-feira, ocorre uma grande operação das Forças de Intervenção.

O miliciano estaria diretamente envolvido nos constantes confrontos que vinham ocorrendo na região e também foi autuado em flagrante pelo crime de uso de documento falso e porte de arma de uso restrito. Na operação de hoje, foram apreendidas duas pistolas, uma de calibre .40, e outra de calibre. 45, essa última com kit rajada; além de R$23.900,00 em dinheiro, um carro e munição. A ocorrência está sendo lavrada na sede da Polícia Federal na Praça Mauá.

As ações que resultaram na prisão fazem parte da Operação União Rio, que tem como objetivo a integração das forças de segurança, também contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e foi uma decorrência da troca de informações de inteligência entre as forças participantes.

Policiais da 24 DP e 29 DP em parceria com a DRE/PF, prenderam nessa madrugada HELIO ALBINO FILHO, vulgo LICA, ex miliciano que se aliou ao CV, e que além de MP estava na posse de duas glocks (uma 45 e uma 40 com kit rajada). A prisão dele somada a morte de Da Russa representa um grande prejuízo para o CV naquela localidade da Praça Seca.

Cabe sinalar que a informação foi fornecida pela Comunicação Social da Polícia Federal  no Rio de Janeiro. Edição para OIPOL, Luján Frank Maraschio.

12039211_1010729348947797_4881491765367801011_n
Patrocinado. Carreiras na OIPOL

Investigação aponta organização criminosa em São Paulo

Polícia Federal combate grupo criminoso que atuava em Sertãozinho e Ribeirão Preto

A Foto Polícia Federal do Brasil - - ---
Foto Polícia Federal do Brasil

Ribeirão Preto, São Paulo – A Polícia Federal, apoio do 43º Batalhão da Polícia Militar do Estado de São Paulo, deflagrou nesta sexta-feira (27/4) a Operação Cartão Vermelho, para reprimir crimes de tráfico, associação e financiamento ao tráfico de drogas. Cerca de 70 policiais federais cumpriram 11 mandados de prisão e 15 mandados de busca e apreensão.

A investigação, iniciada em outubro de 2017, apontou que os integrantes da organização criminosa se dedicavam à prática dos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e financiamento do tráfico, atuando com maior intensidade nas cidades de Sertãozinho e Ribeirão Preto.

A PF reuniu indícios e provas de que o grupo criminoso, organizado com funções específicas de cada integrante, atuava adquirindo produtos químicos e pasta base, manipulando e distribuindo cocaína e crack. O rastreamento da distribuição do dinheiro apontou a existência de um financiador do empreendimento ilícito, devidamente identificado e preso nesta data.

Também foram reunidos indícios da prática de outros crimes (agiotagem, empréstimo de armas de fogo para outros criminosos e até mesmo possível ato de improbidade administrativa), sendo que os elementos de prova de delitos não referentes aos crimes objeto das presentes investigações serão, conforme autorização judicial, compartilhados com a Promotoria de Justiça de Sertãozinho.

Os membros do grupo criminoso, que configura uma ORCRIM, foram indiciados, de acordo com suas condutas, por integração de organização criminosa, tráfico de drogas, associação para o tráfico e financiamento do tráfico.

É procedente assinalar que a in formação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal.

LOGOBIENDEFINIDO
Patrocinado, ver informação aqui.

Federais do Brasil golpeiam novamente ao narcotráfico

  • Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal apreendem cerca de 12 kg de cocaína em Alagoas
  • No Aeroporto Internacional de São Paulo, uma brasileira tentando embarcar para o exterior com droga oculta nas bagagens.
A Foto Políacia Federal do Brasil
Foto Políacia Federal do Brasil

Maceió/AL – Guarulhos/SP – Rio de Janeiro/RJ, Brasil -A Polícia Federal, em operação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal – PRF/AL, durante barreira policial realizada nesta quinta-feira (12/4), efetuou a apreensão de aproximadamente 12 kg de cocaína (e pasta base) e a prisão de dois homens em frente à Unidade Operacional de Polícia – UOP/PRF, na BR 104, em União dos Palmares/AL.

Durante a abordagem, os policiais desconfiaram do nervosismo do condutor e do passageiro, que se apresentou como menor de idade, e fizeram uma busca minuciosa no veículo. Em seu interior, os policiais encontraram a droga oculta.

Todos foram conduzidos, junto com o material apreendido, à Sede Polícia Federal em Maceió/AL, para ser lavrado o auto de prisão em flagrante.

Cocaína no Aeroporto de São Paulo

Por outro lado, a PF prendeu na quinta-feira (12/4), no Aeroporto Internacional de São Paulo, uma brasileira tentando embarcar para o exterior com droga oculta nas bagagens.

Funcionários que operam o aparelho de raio-x visualizaram substância orgânica no interior da bagagem despachada por uma passageira. A PF foi acionada e localizou a proprietária da mala, conduzindo-a para revista e busca pessoal.

Em um fundo falso, foram encontrados dois volumes, contendo uma substância semelhante à cocaína. A suspeita, natural do Pará e de 48 anos, foi conduzida à delegacia. Após perícia, a substância foi identificada como cocaína, cujo volume somou três quilos. A mulher, que pretendia embarcar para Bucareste, na Romênia, recebeu voz de prisão.

A presa foi conduzida ao presídio feminino da capital, onde permanecerá à disposição da Justiça respondendo pelo crime de tráfico internacional de drogas.

È preciso dizer que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal.

DRACONX
Patrocinado, fazer click para informação

Dezenas de policiais federais brasileiros no combate ao narcotráfico internacional

A PF deflagra operação Bebel no Aeroporto Internacional de São Paulo

A Foto Polícia Federal do Brasil - - ---
Foto Polícia Federal do Brasil

Guarulhos/SP – A Polícia Federal deflagrou na manhã do dia 5 de abril a Operação Bebel, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa transnacional que enviava e trazia drogas por meio das chamadas “mulas do tráfico” em voos internacionais, no Aeroporto Internacional de São Paulo.

Cerca de 40 policiais federais participam da operação e dão cumprimento a um mandado de prisão temporária e três de busca e apreensão, em Santa Catarina, e outros três mandados de busca e apreensão, no Rio Grande do Sul.

As investigações tiveram início a partir da prisão de duas passageiras, com drogas nas bagagens, ocorridas no mês de janeiro de 2017. Com essa prisão, foram coletados documentos e informações que possibilitaram a localização e acompanhamento dos integrantes da organização criminosa. Ela atuava nas cidades de Florianópolis, em Santa Catarina, Santa Maria e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul e em São Paulo, no aeroporto internacional.

Os criminosos aliciavam as pessoas, mediante promessa de pagamentos em dólares, para que transportassem uma mala até determinado país, geralmente contendo cocaína. E quando elas retornassem, após um curto período de permanência, trariam outra mala, onde criminosos, sediados naquele país, inseriam drogas sintéticas.

O financiador e possivelmente um dos chefes da organização criminosa já está preso em Santa Catarina, acusado pelos crimes de tráfico internacional de drogas e formação de quadrilha. Na ocasião de sua prisão, foram apreendidos em sua posse 60 mil comprimidos de ecstasy.

É preciso dizer que a informação e a imagem fotográfica foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal.

Foto OIPOL
Patrocinado. Associação OIPOL

Procuram achar os chefes do narcotráfico no Rio de Janeiro

Disque-Denúncia pede ajuda para localizar líderes do tráfico de drogas em Angra

Rio de Janeiro/RJ, Brasil – O Portal dos Procurados do Disque-Denúncia divulgou cartaz com as fotos de Bruno da Silva Carneiro, de 24 anos, Jeferson Luiz dos Santos, o Jefinho, de 27, Dayana Nunes da Silva, de 24, e Willemsen Luis da Silva, o Serrinha, de 44 anos. Eles são acusados de fazer parte do tráfico de drogas que age em Angra dos Reis, no sul fluminense.

Na quarta-feira passada (21), o Comando Conjunto das Forças Armadas realizou uma operação nas rodovias federais. O procedimento gerou alguns bloqueios na rodovia Rio-Santos, em Angra dos Reis.

A ação contou com mais de 1.500 militares, sendo 1.400 das Forças Armadas e 110 policiais militares. Eles também tiveram o apoio de veículos blindados e aeronaves. A operação foi feita em conjunto com a Policia Rodoviária Federal, a Força Nacional de Segurança e a Secretaria de Segurança.

Mais de 60 quilos de maconha foram apreendidos no bairro do Frade, O bairro foi alvo da operação por causa do alto índice de apreensões e homicídios. Somente neste ano foram 13 assassinatos, em consequência da guerra entre facções criminosas pelo domínio do controle do tráfico na região. De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), em 2017 Angra registrou 113 assassinatos.

Qualquer informação sobre a localização dos acusados pode ser passada aos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099 e a  Central de Atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177. O anonimato é garantido.

Cidade turística

A cidade de Angra dos Reis tem sob sua administração a Baía da Ilha Grande. Considerada uma das regiões mais bonitas da Costa do Sol, é cercada por praias e ilhas. O município sedia as usinas nucleares de Angra I e II. Devido à beleza de suas praias e das regiões próximas, Angra virou ponto forte do turismo nacional.

Segundo o censo 2010, em Angra cerca de 36% da população vivem em favelas, situadas em morros ou áreas de mangue. Isso coloca o município em décimo lugar no país na proporção de domicílios em favelas. Essa geografia contribui para que criminosos ocupem os morros da região, devido à área de Mata Atlântica, que serve de esconderijo para as quadrilhas.

Cabe assinalar que a informação foi fornecida pela Agência Brasil (EBC) no dia 28 de março.

LOGO2 ING-1 -
Patrocinado. Para Aciossação faça click no escudo

Operação dos federais desarticula esquema internacional de narcotráfico

  • Foram apreendidos 162 kg de cocaína, 32 kg de crack, 154 kg de maconha e 1 pistola calibre 9mm, e resultando na prisão de cinco pessoas em flagrante
A Foto Polícia Federal do Brasil - - ---
Foto Polícia Federal do Brasil

Rio de Janeiro, RJ, Brasil – Foz do Iguaçu – PR – A Polícia Federal deflagrou na manhã de sexta-feira (23/3) a Operação Jacutinga, implementada para desarticular uma associação voltada para o tráfico transnacional de droga. O grupo era responsável por introduzir no Brasil e enviar drogas para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Policiais federais dão cumprimento a oito mandados de prisão e oito mandados de busca e apreensão, nas cidades de Foz do Iguaçu/PR, São Miguel do Iguaçu/PR e Cascavel/PR. Com a deflagração da operação, inicia-se a fase ostensiva da investigação, a qual deve ser concluída em 30 dias.

As investigações foram iniciadas em abril de 2016 e, durante o período das apurações, foram apreendidos 162 kg de cocaína, 32 kg de crack, 154 kg de maconha e 1 pistola calibre 9mm, e resultando na prisão de cinco pessoas em flagrante.

Além disso, identificou-se que a associação investigada possui envolvimento com uma apreensão de 246 kg de crack ocorrida no dia 05/09/2014, na cidade de Paraty/RJ, oportunidade em que três pessoas foram presas em flagrante.

O grupo investigado, integrado por três pessoas da mesma família, transportava a droga em compartimentos previamente preparados na lataria dos veículos, como no teto e nos para-lamas. Além do grupo principal, foi identificado um núcleo secundário, envolvido numa apreensão de 40 kg de maconha na cidade de Cascavel/PR no dia 13/04/2017, quando uma pessoa foi presa em flagrante.

12039211_1010729348947797_4881491765367801011_n
Patrocinado, fazer click 

Federais prendem 232 kg de cocaína no Rio

A Foto Policia Federal do Brasil -
Foto Policia Federal do Brasil

Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal, nesta quinta-feira (15/3), prendeu três homens e apreendeu mais de 232 kg de cocaína em uma casa localizada no município de Itaguaí/RJ.

Policiais federais chegaram ao local, na localidade de Coroa Grande, por meio de denúncia anônima que indicava uma movimentação intensa de pessoas estranhas na residência. Foi realizada busca no local com auxílio dos cães farejadores, que apontaram o local exato onde o entorpecente estava escondido. Nos fundos da casa, a PF apreendeu uma embarcação que estava em nome de parente de um dos presos. Também foi apreendido um motor de popa. Há a suspeita de que a droga seria distribuída a comunidades no estado do Rio por meio de pequenas embarcações.

Os presos foram indiciados pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Após os procedimentos de praxe, eles serão conduzidos ao sistema prisional do estado, onde permanecerão à disposição da Justiça.

É procedente assinalar que a informação foi fornecida pela Agência de Noticias da Polícia Federal (PF).

OTCCM
Patrocinado

 

Operação dos federais contra o narcotráfico em São Paulo

Polícia Federal localiza laboratório do tráfico na região de Campinas

A Foto Políacia Federal do Brasil
Foto Políacia Federal do Brasil

São Paulo/SP – A Polícia Federal localizou na noite de segunda-feira (12) um laboratório de refino, mistura e acondicionamento de drogas, no interior de São Paulo. Uma pessoa foi presa.

A ação aconteceu após a PF ter recebido a informação de que um veículo estaria sendo utilizado para o tráfico de drogas em uma estrada de terra na altura do quilômetro 39 da Rodovia Dom Pedro, no município de Nazaré Paulista/SP.

Policiais Federais, após realizarem diligências investigativas, conseguiram identificar o veículo que tinha as características informadas. Após a abordagem, constatou-se que ele transportava, de acordo com a contabilidade dos criminosos, cem mil “pinos” embalados em sacos, prontos para a venda a varejo, todos contendo cocaína e crack. Indagado onde recebera o material que transportava, o motorista apontou um sítio próximo.

No sítio, que estava vazio, foram encontrados equipamentos para refino e fracionamento de drogas, produtos químicos utilizados para refinar e misturar à cocaína para aumentar o seu volume, além de tijolos de pasta-base de cocaína e maconha.

O material foi apreendido e encontra-se sendo submetido à análise para pesagem líquida e identificação de todas as substâncias. O peso bruto das drogas apreendidas (com as embalagens) é de 58 quilos de pinos de crack, 18 quilos de pinos de cocaína, 91 quilos em tabletes de pasta base e 6 quilos de maconha em trouxinhas.

Foi lavrado auto de prisão em flagrante, e o preso encontra-se à disposição da Justiça.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada nas últimas horas pela Agência de Noticias da Policia Federal (PF) e Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo.

DRACONX
Patrocinado, fazer click para informação

Operações sistemáticas de federais brasileiros contra crimes transnacionais

Polícia Federal (PF) prende passageiros de voos internacionais

A Foto Policia Federal do Brasil -
Foto Policia Federal do Brasil

Guarulhos/SP- Rio de Janeiro/RJ – A Polícia Federal prendeu na quinta-feira (8/8), no Aeroporto Internacional de São Paulo, dois passageiros de voos internacionais e apreendeu quase cinco quilos de cocaína.

Policiais federais, acionados por funcionários que operam os aparelhos de raio-x no controle migratório, localizaram dentro da mala de uma passageira, portadora de passaporte venezuelano, de 35 anos, três volumes contendo quatro quilos de cocaína. A suspeita tinha como destino a cidade Joanesburgo, na África do Sul.

Em outra ação, realizada por policiais federais que atuam junto aos balcões de check-in, foi preso um passageiro, nacional da Nigéria, de 39 anos, com dez volumes contendo mais de um quilo de cocaína. A droga estava oculta em embalagens envoltas em fitas adesivas, que simulavam palmilhas, dentro de cinco tênis. O suspeito pretendia levar a droga para a cidade de Lagos, na Nigéria.

Ainda na madrugada desta quinta-feira, foi elaborado um termo circunstanciado em razão do desentendimento ocorrido entre dois funcionários de uma companhia aérea no momento em que a aeronave estava sendo preparada para receber os passageiros. O piloto e uma agente de tráfego teriam discordado do posicionamento do finger que dá acesso à aeronave. Foi elaborado um termo circunstanciado, registro pericial e apreendido o passaporte do piloto, que foi acusado de agredir a funcionária. O envolvido responderá à Justiça, com base no artigo 129 do CP, junto ao Juizado Especial Criminal Estadual.

Os presos serão encaminhados aos presídios estaduais, onde permanecerão à disposição da Justiça, respondendo pelo crime de tráfico internacional de drogas.

É procedente dizer que a informação foi fornecida pela Aência de Noticias da Polícia Federal (PF).

LOGOBIENDEFINIDO
Patrocinado, faz click.

Apreendem grande quantidade de drogas em Rio de Janeiro

Rio de Janeiro/RJ – Uma Operação Conjunta entre a Polícia Federal, Receita Federal e Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu na noite da quinta-feira (1/3) aproximadamente uma tonelada e meia de cocaína pura, que estavam escondidas em containers no Porto do Rio.

Segundo a Agência de Noticias da Polícia Federal (PF), foram utilizados aparelhos de raio-x e cães farejadores com o objetivo de localizar armas de fogo, munições e drogas em carregamentos que se encontravam em trânsito no porto.

Cabe assinalar que, a Polícia Federal dará prosseguimento às investigações.

A imprensa da capital fluminense (Extra), foi uma ação conjunta das polícias Federal e Civil, além da Receita Federal, resultou numa das maiores apreensões de cocaína no estado do Rio. Quase uma tonelada e meia da droga (cerca de 1.300 quilos) foram encontradas escondida em dois contêineres no Porto do Rio, na noite desta quinta-feira. Os agentes se depararam com o material durante uma operação que tinha o objetivo de encontrar armas, munição e entorpecentes que poderiam estar em trânsito no local.

A carga de “cocaína pura” estava organizada em pacotes escondidos em diversas malas, enfileiradas no interior dos contêineres. Durante a vistoria foram utilizados cães farejadores e equipamentos de raio-X. O trabalho começou ainda no período da tarde e, durante o início da madrugada desta sexta-feira, contêineres ainda eram vistoriados no porto do Rio.

É um trabalho integrado para fiscalizar os diversos contêineres no Porto do Rio. O objetivo é descobrir se (esses compartimentos) estão contaminados com armas munição e drogas, que vão abastecer o crime organizado no nosso estado — explicou o delegado Carlos Eduardo Thomé, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal do Rio.

Ainda segundo o delegado, o próximo passo é buscar responsáveis pela grande carga de drogas apreendida:

A partir de agora, a DRE vai instaurar um inquérito policial. Vamos identificar, apurar qual a origem do contêiner, qual seria o destino final, quem são os responsáveis pelo despacho aduaneiro e qual a empresa está envolvida. Por enquanto é uma apreensão. Vamos aprofundar as investigações com o objetivo de responsabilizar os envolvidos — afirmou o policial, antes de acrescentar: — Entendo que seja a maior (apreensão de cocaína) da última década.

É procedente dizer que a informação foi facilitada pela Agência de Noticias da Polícia Federal e pelo jornal Extra.

Imagens da operação

ab165eaa-01fc-4853-abc0-057f933e7f03
Patrocinado. PayPal en foto.

É preso fornecedor de drogas para facções criminosas brasileiras

Polícia prende Elton Leonel Rumich da Silva, conhecido como Galã, procurado por brasileiros e paraguaios

A Foto Sargento Alexandre
Foto Sargento Alexandre

Rio de Janeiro/RJ – Policiais civis da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) prenderam, na noite do dia 27 de fevereiro, em flagrante, Elton Leonel Rumich da Silva, conhecido como Galã. Segundo a Polícia Civil, ele era procurado pelas polícias brasileira e paraguaia e fornecia grande quantidade de drogas para as maiores facções criminosas do país, como a carioca Comando Vermelho e a paulista Primeiro Comando da Capital (PCC).

Segundo os policiais, ele foi preso quando fazia tatuagem em um estúdio localizado em Ipanema, na zona sul do Rio de Janeiro. Ainda de acordo com a polícia, Galã apresentou um documento falso na hora da prisão, mas os agentes já conheciam sua identidade porque trocaram informações com a Polícia Civil paulista.

Galã é acusado de ter participado da execução de um homem suspeito de chefiar o tráfico na fronteira com o Paraguai, Jorge Rafaat Toumani, em junho do ano passado. Segundo a Polícia, Galã teria matado Rafaat para assumir parte dos negócios dele como fornecedor de drogas na fronteira do Brasil com o Paraguai.

Procurado no Brasil e no Paraguai, Galã utilizava diversos nomes falsos como: Ronald Rodrigo Benites, Oliver Giovanni da Silva e  Elton da Silva Leonel.

Cabe assinalar que a informação foi facilitada pela Agência Brasil (EBC).

Foto OIPOL
Publicidade

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: